in ,

7 dicas para tirar as melhores fotos em suas viagens

Viajar é uma das melhores práticas para fazermos sempre que possível. Renova as energias, possibilita encontro com novas culturas, pessoas, experiências e conhecimento. Por isso, em toda viagem é sempre bom trazer algo, como uma lembrança, desde suvenires, como imãs, chaveiros e principalmente, fotografias.

Pessoalmente gosto mais da última opção, incluindo vídeos, claro. Permitindo que, sempre que quiser, eu volte no tempo relembrando aquele passeio.

Mas apenas registrar é algo muito sem graça para quem realmente gosta de fotografia, pois hoje o registro é a coisa mais fácil de se fazer (e não tem erro nenhum nisso).

Já os amantes da arte de fotografar podem se atentar a algumas coisas extras do tradicional point and shoot. Por isso separamos algumas dicas, que junto com nossos artigos anteriores da série, podem te ajudar a tirar fotos cada vez melhores.

1 – Lembre das regras de composição

Lembra de quando falamos sobre o que é composição na fotografia? Lá comentei sobre como a composição faz uma diferença gigantesca na sua captura, desde simplesmente como posicionar melhor a câmera e objetos, até o rumo que a história que quer contar será narrada (apenas com a imagem).

Entender bem as regras de composição é algo que faz total diferença na sua imagem, independente do seu equipamento ou se você está viajando ou não. Por isso, recomendo que dê uma passada em alguns de nossos artigos que falaram em detalhes sobre essas regras:

2- Use a criatividade em suas composições

Mas como também comentamos nos artigos anteriores, as regras estão lá para ajudar, não para aprisionar. Quebrar uma regra ou outra pode causar efeitos interessantes, se você souber onde está mexendo.

Claro que referências sempre ajudam e por isso as buscamos sempre, mas quando viajar, a experiência é só sua, então o modo que vai representa-la também precisa ser único.

A criatividade nessa hora é sempre muito importante. Por isso, vá além de composições que se repetem tanto na internet, procure criar sua própria história.

Indo um pouco além das regras mencionadas anteriormente, também falamos um pouco sobre alguns elementos e tendências que pode explorar em suas capturas:

3- Acorde cedo e aproveite o dia

Sei que acordar cedo pode ser algo difícil em dias normais, imagine então quando estamos a passeio… Mas se a sua ideia é fotografar muito, saiba que os melhores horários são nas primeiras e nas últimas horas de claridade, as chamadas blue hour e a golden hour.

Nesses horários o sol gera colorações mágicas na atmosfera, suavizando as sombras e criando diversas situações completamente diferentes em um mesmo ambiente.

Experimente você mesmo capturar uma paisagem próximo de onde estiver hospedado pela manhã bem cedo, depois outra foto durante o pôr do sol e uma última logo depois dele (quando o sol já sumiu mas ainda temos um pouco de claridade) e teste na prática essas horas mágicas.

Saiba mais sobre esse assunto nos seguintes artigos:

4 – Puxe uma conversa antes de pedir para fotografar

Você gosta de ser abordado aleatoriamente quando está fazendo seu trabalho? Imagino que não. Claro que em alguns lugares, as pessoas que moram por lá estão “acostumadas” a tirar fotos com turistas, mas ainda assim um mínimo de educação aqui é necessário.

Se o idioma não for algo completamente impeditivo, converse com a pessoa (com ajuda de gestos se for necessário), peça informações, demonstre interesse, seja simpático. Regras básicas de convivência, claro.

Mas é importante ter esse contato com a pessoa antes em vez de sair fotografando como se estivesse em um safári. Você pode até mesmo aprender no idioma do local como dizer “posso tirar uma foto sua?”. Quem sabe isso vira um gatilho para aprender mais dessa língua depois.

E em termos de composição de retrato, lembre-se sempre: foco nos olhos, principalmente quando estamos usando uma lente com aberturas maiores para gerar aquele efeito bokeh tão querido.

5 – Se é uma viagem fotográfica, vá apenas com quem também ame fotografar

Viajar acompanhado é ótimo, mas sozinho também é bom em outros sentidos.

Quando você planeja uma viagem em que sua intenção é fotografar cada detalhe de maneira consciente, saiba que essa tarefa demanda tempo, e consequentemente paciência, tanto sua como de quem te acompanha.

Por isso, para evitar reclamações que estraguem o passeio fotográfico, vá com o objetivo claro e também deixe claro para quem estiver com você que é provável que as paradas sejam constantes e demoradas.

6 – Faça sua pesquisa prévia

Veja blogs e canais de viagens, além dos tantos ótimos guias online que existem para criar seu roteiro prévio de destinos na viagem, lembrando que para aproveitar bem as oportunidades de captura, você precisará de um bom tempo em cada lugar.

O que também ajuda é pegar referências em perfis de Instagram de pessoas que fizeram essa mesma viagem. Dessa forma você criará uma lista de fotos que “deve” tirar, seja pela característica do local, ângulo ideal para fazer algum efeito, melhor horário ou eventos locais.

Sabendo essas informações, fica mais fácil de determinar a ordem de visitação, planos A, B e C por conta de mudanças climáticas e também o tipo de equipamento e acessórios fotográficos que serão levados.

7 – Não se limite apenas ao roteiro

Claro que o roteiro que criou anteriormente é um norte a seguir, mas não uma prisão em forma de check-list. Aqui novamente a criatividade vai preencher lacunas do roteiro ou até mesmo estica-lo em determinados momentos.

Cumprir o roteiro é importante para ter a sensação de dever cumprido em sua viagem, já que nem sempre teremos a oportunidade de voltar para aquele mesmo lugar. Mas deixar de aproveitar uma oportunidade de explorar mais o lugar (dentro dos limites de segurança, claro) por causa de um roteiro inflexível pode ser frustante. Por isso é importante reservar um tempo extra considerável em cada parada.

O legal aqui é que desse jeito é mais fácil de criar imagens únicas, saindo do padrão das referências que buscou anteriormente.

Conclusão

Viajar é fantástico, uma experiência que, sempre que possível, independente da duração e distância, vale a pena. Fotografar essas experiências é uma ótima maneira de manter viva essa vontade de querer mais e lembrar como foram esses momentos.

O legal de fazer essas capturas de maneira mais consciente na fotografia em si vai permitir que crie imagens tão boas quanto essas que utilizamos como exemplo, encontradas na iStock.

Uma ótima forma de se inspirar e buscar referências fotográficas é observar o trabalho de fotógrafos profissionais, e isso é o que não falta na vasta biblioteca de imagens da iStock.

Até a próxima!

Escrito por Julian Nunes

Designer e professor nas áreas de computação e editoração gráfica e também apaixonado por cinema, animação, motion e flertando com fotografia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…