in ,

Regras de composição: Composição em círculo, Radial, Horizontal, Vertical e Diagonal

Vimos no artigo anterior que compor uma imagem requer um bom posicionamento, para conseguir colocar a cena desejada no enquadramento desejado, aproveitando uma possível simetria ou fazendo com que os próprios elementos da cena enquadrem-na, entre outras técnicas.

Nesse artigo vamos continuar com outras regras de composição, mas antes uma palavra de alerta: nem sempre somente dar alguns passos pro lado vão fazer com que consiga aproveitar todas as regras, mas sim ter um olhar atento para o que estiver em volta e aproveitar os detalhes que eles podem trazer.

Predominância é a palavra chave aqui, já que nessas regras o que predominar na imagem é o que vai dar o sentido, desde uma imagem mais dinâmica e viva, até algo mais estático e pacífico.

Vamos ver algumas dessas técnicas:

Composição em círculo

Quando você pensa em um alvo, aposto que logo imagina o clássico ícone dos círculos vermelhos diminuindo até chegar ao centro. Isso é uma composição em círculo!

Assim como o alvo cumpre muito bem seu objetivo, a ideia principal da composição em círculo também é atrair a atenção do olhar a objetos circulares ou a uma cena em que os objetos se posicionem de um jeito que lembre um círculo.

Isso acontece porque a simplicidade do círculo costuma sobressair sobre o restante da imagem, que tende a apresentar formas mais complexa.

Considerando essa simplicidade, a composição em círculo tende a criar uma captura harmônica e fácil de se adaptar, já que o círculo, por não ter lados, dificilmente “briga” com outros elementos da cena de linhas mais retas e angulares.

Apesar de não ser uma obrigação, colocar os círculos no centro cria uma imagem ainda mais harmônica, devido a sua simetria.

Na imagem acima, os círculos sobrepostos, além de caracterizar uma composição em círculo, brincaram com algumas regras, entre elas a regra de sobreposição e também acaba sendo enquadrada em uma composição radial, por causa da direção do olhar que os círculos reforçam. Então aproveitando o gancho, a próxima é justamente essa composição.

Composição radial

“A vida é um círculo”: essa expressão já deve ter passado pelos seus ouvidos algumas vezes e ela também cabe na fotografia, já que composições radiais dão uma sensação de que a imagem está mais viva. Isso acontece devido ao movimento dinâmico que nossos olhos fazem quando vemos imagens usando essa regra de composição.

Se você criar um degradê radial no Photoshop ou Illustrator, verá que é aquele radial em que uma cor inicia no centro e vai se espalhando ao redor de maneira uniforme, é essa ideia também na composição radial, onde os objetos capturados, através de suas linhas e cores fazem um caminho de dentro para fora ou de fora pra dentro de um círculo ou algo próximo disso.

Digo algo próximo, pois assim como na imagem acima, podemos ver que os prédios em volta do avião não formam um círculo, mas apesar de serem retângulos, formam um desenho radial em volta do avião, pois as linhas e ângulos dos prédios apontam para o avião ao centro.

Assim como na composição em círculo, se é simetria que busca, colocar o objeto ao centro vai trazer esse efeito, mas a composição radial permite que você aproveite essa expansão radial sem que necessariamente o objeto fique centralizado, então aproveite para experimentar ângulos diferentes com essa mesma composição.

Composição horizontal

Poucas coisas acalmam mais que uma paisagem, um pôr do sol ao longe no horizonte. E falando em horizonte, agora é hora da composição horizontal.

Quando criamos uma imagem enquadrando a cena em linhas horizontais, como a própria linha do horizonte, ou faixas presentes no ambiente retratado, nossos olhos passeiam por essas linhas horizontais, criando uma imagem mais estável, calma, pacífica, estática, entre outras características “nessa linha”.

Algo interessante de aproveitar nessa composição é colocar o objeto principal ao lado direito, já que temos a tendência de “ler” a imagem da esquerda para a direita, fazendo com que nossos olhos pousem no objeto/personagem ao lado, assim como na imagem acima, onde a neblina bem realçada reforça a questão horizontal.

Composição vertical

Costumo falar da composição vertical junto com a horizontal já que elas são justamente opostas, tanto em sua imagem como no conceito.

Enquanto na horizontal temos uma imagem mais calma, as características que uma composição vertical trazem são de uma imagem ativa, dinâmica, demonstrando crescimento, força, agilidade, etc,

É comum encontrarmos fotos tiradas no modo retrato (vertical) para realçar ainda mais essa regra, mas como sempre, podemos quebrar regras para criar um efeito de contraste interessante, como no exemplo acima, onde a cena poderia facilmente ser traduzida para algo pacifico e até mesmo monótono, mas as linhas verticais da janela e prédios podem contar uma história diferente.

Nessa imagem poderíamos imaginar que a pessoa é na verdade um empreendedor com seu projeto em rápido crescimento.

Claro que isso não é responsabilidade apenas da composição vertical, mas também no cenário em si, suas cores, etc, mas a composição precisa sempre ajudar a contar sua história, como já falamos desde o primeiro artigo sobre o tema.

Composição diagonal

A composição diagonal pode ser feita tanto aproveitando as linhas diagonais naturais da imagem, como caminhos, montanhas, árvores, postes caídos e tantas outras possibilidades, como também pode ser criada simplesmente girando um pouco a câmera e criando suas próprias diagonais.

A questão aqui é que quando temos uma composição com linhas diagonais em predominância, temos uma imagem mais dinâmica que uma composição horizontal, por exemplo. E as linhas diagonais tem um papel ainda maior na direção do olhar, então elas podem ajudar muito em destacar um objeto ao final de uma dessas linhas.

No exemplo acima, vemos a linha diagonal criada pelo caiaque indicando movimento. O fato do movimento claramente ocorrer de baixo para cima e da esquerda para a direita também indica esforço, reforçando ainda mais o conceito da imagem.

A composição diagonal quebra o padrão de fotos predominantes horizontais ou verticais, chamando atenção justamente por isso. Mas lembre-se que nem sempre ela se aplica, já que as duas anteriores podem fazer um papel melhor em determinadas situações.

Aproveite também a ordem natural que vemos a imagem (esquerda para direita) e veja como a diagonal pode ajudar/reforçar essa ideia e destacar ainda mais o personagem/objeto na cena.

Conclusão

Vimos então que compor uma imagem tem muito a ver com escolhas. Escolher o melhor posicionamento, enquadramento, ângulo e até a posição dos objetos na cena. E a ideia é que isso fique cada vez mais natural, mas para isso sempre será necessário praticar, e muito.

Assim como nos artigos anteriores dessa série, contamos com as belas imagens da iStock para ilustrar os conceitos aplicados.

Ainda tem mais algumas regras de composição vindo por aí. Então… até a próxima!

Escrito por Julian Nunes

Designer e professor nas áreas de computação e editoração gráfica e também apaixonado por cinema, animação, motion e flertando com fotografia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…