in ,

Como usar grids na criação de logotipos

Antes de falarmos sobre a aplicação prática dos grids na criação de logotipos, eu quero explicar o porquê de utilizá-los e te apresentar os tipos mais comuns, o que vai te ajudar a se familiarizar com o assunto.

Grids: definição e propósito

Os grids são a espinha dorsal de qualquer layout, auxiliam na construção, ajudam a manter o equilíbrio visual, organizar e posicionar os elementos em relação uns aos outros.

Eles começaram como um sistema para organização de texto, mas hoje podemos expandir sua utilização para o desenvolvimento de logotipos.

Utilizar os grids não é garantia de um bom projeto, é uma ajuda.

A questão em que muitos designers se perdem é a série de utilizações possíveis dos grids, mas isso permite que cada profissional possa encontrar uma solução adequada ao seu estilo pessoal.

Tipos de grids

Os grids podem aparecer de diversas formas e tamanhos, e têm uma longa e complexa história que vem desde os primeiros manuscritos da humanidade.

Poderíamos falar dos Manuscritos do Mar Morto, Bíblia de Gutenberg e até sobre os jornais no final do século 19, que expandiram o uso dos grids para maximizar a quantidade de informações que cabiam em uma folha de jornal.

Mas para você se habituar aos grids, vou demonstrar a partir das tipologias mais comuns.

1- Baseline

Feito a partir de linhas horizontais igualmente espaçadas que determinam onde o texto ficará.

As folhas de papel pautado seguem esse esquema de organização, então imagino que seja familiar para você.

2- Coluna

Formado por campos verticais onde os elementos são alinhados horizontalmente.

É um grid muito comum no Design de Interface.

3- Modular

Estruturado a partir da interseção de linhas e colunas, os módulos podem ser usados para controlar as decisões de layout por meio de uma relação mais holística.

Caso queira saber mais, já escrevi um artigo focado em falar sobre esse tipo de grid e sua anatomia.

4- Manuscript

Possui apenas uma coluna por página que determina onde o texto será posicionado. É um tipo de estrutura muito comum nos livros clássicos e tradicionais.

Caso tenha interesse em ir mais a fundo, escrevi um artigo que explica de maneira mais completa como utilizar esse tipo de grid na prática.

Mas e a criatividade?

Às vezes associamos as restrições com algo ruim, principalmente quando se trata de criatividade. Queremos ser livres para nos expressar e explorar o máximo do nosso potencial criativo.

Porém, o Design não é uma profissão puramente criativa, porque possui uma camada estratégica por trás.

Para um bom designer, quanto mais específico for o briefing, por exemplo, melhor para o desenvolvimento do projeto.

Em vez de limitar nossa criatividade, as restrições nos dão um ponto de partida e investem a liberdade criativa em explorar possíveis soluções.

Os grids nos ajudam com isso, pois fornecem restrições ao layout e reduzem o número de opções disponíveis ao passo que torna tangível as novas opções.

Grids nos logotipos

Nesse tópico, vou explicar o passo a passo da utilização do grids no desenvolvimento de logotipos.

Não vou explicar a partir de um software específico, mas em termos gerais, onde, independente do programa que você usa, é possível (pelo menos precisa ser, caso contrário, reveja o seu software padrão para criação vetorial) seguir as instruções.

Exemplo 1

Empresa: Zaragozano
Designer: Cruz Novillo
Ano: 1989

Para a construção desse logotipo, você precisa criar um grid modular 6×6.

Essa nomenclatura é usada para indicar o número de colunas por linhas, especificamente nessa ordem.

Se você quer indicar um grid modular com 8 linhas e 6 colunas, diz-se: grid 6×8.

Utilize a ferramenta retângulo para desenhar as hastes e a ferramenta linha para fazer a “espinha” da letra Z.

É de extrema importância que o logotipo mantenha a mesma espessura independente do ângulo, que neste caso, escolhido para as diagonais, é 45º.

Todas as outras linhas precisam se relacionar, ou com o contêiner ou com as extremidades do logotipo.

Isso ajuda a dar uma coesão compositiva maior, pois mesmo que o leitor (pessoa que vai ver esse logotipo) não saiba explicar, para ele parece que tudo faz sentido.

Para finalizar, utilize a sua ferramenta de preferência para combinar as formas e extrair apenas o que é necessário.

Se você quer aprender a criar esse logotipo na prática através do Illustrator, preparei uma aula completa, explicando o passo a passo.

Exemplo 2

Empresa: Hamburger Sparkasse
Designer: Ekkehart Rustmeier
Época: anos 1970

Dessa vez, vamos utilizar um grid modular 5×8, isto é, 5 colunas por 8 linhas.

Vamos utilizar elipses com o diâmetro igual à largura de um módulo. Para entender melhor sobre a anatomia de um grid modular, leia artigo sobre grids antes de continuar.

A diagonal do logotipo não é feita a partir de um ângulo, mas a partir de uma relação interna do grid: uma linha que percorre o centro do 3º módulo da primeira coluna até o canto inferior direito do último módulo do grid.

Utilize elipses com o diâmetro relacionado à largura dos módulos do grid para fazer as curvas. Para atingir altíssima precisão, é necessário aplicar técnicas de Geometria, mas isso é assunto para outro artigo.

Como esse logotipo possui duas grandes formas espelhadas, é necessário criar apenas uma das partes e depois copiá-la e espelhá-la para fazer a outra parte

Se você quer aprender como desenvolver esse logotipo, confira o vídeo com o passo a passo no Illustrator e as técnicas de Geometria necessárias.

Espero que tenha curtido esse conteúdo, e se você quer se aprofundar neste assunto, sugiro que leia os outros artigos recomendados e acompanhe o meu conteúdo através do YouTube.

Éricles Batista

Escrito por Éricles Batista

Designer de marcas e empreendedor digital apaixonado por Matemática, música, processos e cozinha. 90% dedicado e 40% chato segundo sua namorada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…