in ,

O que é círculo cromático? Guia definitivo para combinar cores no design

Você sabe o que é círculo cromático? Como profissional, entusiasta ou apaixonado por design, é bem provável que você já tenha visto o círculo de cores por aí, que também é chamado de roda de cores graças à tradução literal do termo mais usado em inglês: color wheel.

Seja você um especialista em design ou alguém que ainda está dando os primeiros passos na área, o círculo cromático é um elemento simplesmente indispensável, capaz de te ajudar a saber como combinar cores com propriedade e, assim, agregar valor estético (e também financeiro) aos seus projetos.

É este círculo que permite encontrar combinações perfeitas de cores, as quais são usadas em praticamente tudo nas áreas de design, publicidade e marketing, da criação de logos à escolha da paleta de cores que será usada em um comercial de TV.

Está pronto para tirar suas dúvidas de uma vez por todas? Então continue conosco e entenda, na prática, como combinar cores no design!

O que é círculo cromático?

Basicamente, o círculo cromático representa as cores que podemos enxergar com nossos olhos.

Logo de início, já pode surgir em sua mente uma dúvida interessante e relevante, sobre porque o círculo cromático tem as cores dispostas em um círculo e não em retângulos de uma paleta, por exemplo.

Isso acontece pelo fato de que, em um círculo, fica muito mais fácil e intuitivo encontrar as combinações perfeitas de cores para seus projetos, como veremos adiante neste conteúdo.

Além do círculo cromático simplificado, como o que vimos acima, também é possível encontrar versões que mostram diferentes tonalidades de cada cor apresentada, as quais são um pouco mais complexas, como mostra o exemplo abaixo.

Há, também, os círculos cromáticos que apresentam ainda mais tonalidades entre suas cores. Eles são um pouco mais complexos, mas basicamente funcionam da mesma forma, com a diferença de que a seleção de cores pode ocorrer de maneira mais específica.

Podemos chegar até aos círculos cromáticos que além mesclarem as tonalidades, também unem as cores de suas seções em degradê, não exibindo mais as distinções entre as cores, como o exemplo abaixo.

Fica aqui um destaque importante: muitas pessoas procuram pelo termo “círculo monocromático” no Google. Apesar do alto volume de buscas, o termo é incorreto, já que existem várias cores no círculo, o que vai contra esta palavra.

Quem criou o círculo cromático?

Mesmo entre os designers que já sabem como usar o círculo cromático no dia a dia, esta é uma pergunta que muitos não sabem responder – o que não é nenhum demérito, diga-se de passagem.

Um artigo de Alison Koontz, publicado no site Caltech Letters, traz uma breve história das cores, e nós vamos destacar aqui alguns dos pontos principais trazidos por ela.

O primeiro círculo cromático foi apresentado por ninguém menos que Isaac Newton, no século XVII, quando ele descobriu o espectro visível da luz.

Naquela época, pensava-se que as cores eram um produto do escuro e do claro, sendo o vermelho “o mais claro” e o azul “o mais escuro”. Newton, porém, dizia que essa teoria era falha.

Enquanto ele estava isolado em decorrência da peste bubônica que se espalhava pela Europa, Newton começou a testar as propriedades da luz branca e os fenômenos das cores.

Em seu clássico experimento do prisma, analisado em seu livro “Opticks: or, A Treatise of the Reflexions, Refractions, Inflexions and Colours of Light” (1704), ele percebeu que a luz branca era composta por diversas cores.

Newton, então, mapeou essas cores em um esquema de oitavas, no que foi o primeiro círculo cromático da história.

Este círculo, inclusive, foi o ROY G BIV original, acrônimo para a sequência de tons geralmente descritos como presentes no arco íris: Red (vermelho), Orange (laranja), Yellow (amarelo), Green (verde), Blue (azul), Indigo (anil) e Violet (violeta).

Sem se estender muito em relação à criação do círculo cromático como o conhecemos até hoje, foram feitos vários outros experimentos com as cores, com destaque para o polímata alemão Johann Wolfgang von Goethe e o pintor estadunidense Albert Henry Munsell.

Quais são as cores do círculo cromático?

Voltando para o círculo cromático como o conhecemos hoje, e com toda a gratidão que devemos às grandes mentes que ajudaram em sua elaboração, chegou a hora de saber quais são as cores do círculo cromático. Elas se dividem da seguinte forma:

Cores primárias no círculo cromático

Como aprendemos nas aulas de Artes, as cores primárias são aquelas que não podem ser formadas pela mistura de outras cores: amarelo, azul e vermelho.

O posicionamento das cores do círculo cromático é essencial para que ele funcione adequadamente. Considerando que nosso círculo cromático simplificado tem apenas 12 cores, então as primárias devem ser posicionadas com 3 casas de distância entre elas, ou seja, o mais distante possível umas das outras.

Para facilitar, nesta seção do conteúdo, as casas estão numeradas. Sendo assim, as cores primárias ficam nas seguintes casas:

  • Casa 1: Amarelo
  • Casa 5: Azul
  • Casa 9: Vermelho

Cores secundárias no círculo cromático

Com as cores primárias em seus devidos lugares, é chegada a hora de posicionar as cores secundárias, resultantes da mistura de duas cores primárias. São elas: verde (amarelo + azul), roxo (azul + vermelho) e laranja (vermelho + amarelo).

Agora, o posicionamento das cores do círculo cromático deve ser feito de acordo com as cores primárias que as formaram. Logo, o verde vai ficar exatamente entre o amarelo e do azul, e assim sucessivamente.

Dessa forma, nosso círculo cromático ganhará três novas cores, que ficarão nas seguintes posições:

  • Casa 3: Verde
  • Casa 7: Roxo
  • Casa 11: Laranja

Cores terciárias no círculo cromático

Para finalizar nosso círculo cromático simplificado, chegou a hora de posicionar as cores terciárias, formadas pela mistura das cores primárias com as cores secundárias que foram adicionadas no passo anterior.

O funcionamento é o mesmo: elas serão posicionadas entre cada integrante da mistura.

Sendo assim, as cores terciárias ficarão nas seguintes casas:

  • Casa 2: Amarelo-esverdeado
  • Casa 4: Azul-esverdeado
  • Casa 6: Azul-arroxeado
  • Casa 8: Vermelho-arroxeado
  • Casa 10: Vermelho-alaranjado
  • Casa 12: Amarelo-alaranjado

Apenas lembrando, nós fizemos aqui um círculo de cores simplificado, com bem menos tonalidades que as outras versões que vimos lá em cima. Quanto mais “complexo” for o círculo cromático, maior será o número de cores e tonalidades.

Quais são as doze cores do círculo cromático?

Sendo assim, então, chegamos às doze cores, que são as seguintes:

  • Amarelo
  • Amarelo-esverdeado
  • Verde
  • Azul-esverdeado
  • Azul
  • Azul-arroxeado
  • Roxo
  • Vermelho-arroxeado
  • Vermelho
  • Vermelho-alaranjado
  • Laranja
  • Amarelo-alaranjado

Cabe ressaltar que, por vezes, as cores podem aparecer com outros nomes, como “roxo-azulado” em vez de “azul-arroxeado”, por exemplo.

Leia também: Psicologia das cores e fotografia: como elas se relacionam.

Como usar o círculo cromático?

Se você já estudou o que todo designer precisa saber sobre teoria das cores, então percebeu que o assunto é mais complexo do que pode parecer em um primeiro momento. Felizmente, porém, o círculo cromático facilita bastante o seu trabalho.

Basicamente, há seis diferentes alternativas para combinar as cores do círculo cromático. Elas te ajudam a trazer harmonia e até a destacar as emoções e sentimentos que se deseja passar em cada projeto, o que pode ser percebido até um pouco inconscientemente, mesmo por quem não conhece a teoria das cores.

As formas de combinação das cores do círculo cromático são as seguintes:

Possibilidade 1: Combinações complementares

As combinações complementares, também chamadas de combinações de contraste ou suplementares, são compostas por cores em lados opostos uns aos outros no círculo de cores.

Quando se opta pelas combinações complementares, as cores resultam em um efeito bem vivo e enérgico, o que é uma excelente pedida quando o objetivo é trabalhar com contrastes.

Exemplos de combinações complementares:

  • Vermelho e Verde
  • Azul e Laranja
  • Amarelo e Roxo

Possibilidade 2: Combinações triádicas

Como o nome indica, a tríade é uma combinação de três cores que estão à mesma distância umas das outras no círculo cromático, dispostas como em um triângulo equilátero. O resultado é uma composição com alto contraste, mas que não deixa a harmonia de lado.

Com a combinação triádica, o resultado é uma paleta vibrante, mesmo que sejam escolhidas cores atenuadas ou sombreadas. Porém, é preciso tomar cuidado para que as cores não fiquem muito “adolescentes” ou divertidas, o que pode ir contra a proposta desejada para aquele projeto.

Exemplos de combinações triádicas:

  • Verde, Laranja e Roxo
  • Vermelho, Azul e Amarelo
  • Azul-arroxeado, Vermelho-alaranjado e  Amarelo-esverdeado

Possibilidade 3: Combinações análogas

Até mesmo quem não sabe muito bem o que é círculo cromático pode entender facilmente as combinações análogas, feitas com cores posicionadas umas ao lado das outras no círculo de cores.

As combinações análogas remetem à paz e serenidade, e algumas pessoas dizem que isso acontece pelo fato de que tais combinações ocorrem com muita frequência na natureza.

Recomenda-se a escolha de uma cor primária como base e, depois, mais uma ou duas para destacar, o que geralmente funciona melhor com uma cor secundária e outra terciária.

Para resultados mais harmoniosos, é interessante que a cor de base domine e que as demais sirvam como destaque, sem que apareçam além da conta. Além disso, vale tomar cuidado para não escolher tons muito próximos uns dos outros no círculo cromático, já que eles poderiam se “misturar” na composição.

Exemplos de combinações análogas:

  • Vermelho, Vermelho-alaranjado e Laranja
  • Azul-arroxeado, Roxo e Vermelho-arroxeado
  • Amarelo-esverdeado, Verde e Azul-esverdeado

Possibilidade 4: Combinações em fenda

A combinação em fenda é uma variação da complementar, já que em vez de duas cores diretamente opostas uma da outra, ela é feita com uma cor e com outras duas cores, essas ao lado da cor que seria complementar, como mostra a imagem abaixo:

Esta estratégia adiciona mais variedade do que as paletas complementares, já que inclui três tons sem que eles fiquem muito carregados. Assim, é possível ter tons quentes e frios que se equilibram melhor do que nos esquemas complementares.

Exemplos de combinações em fenda:

  • Amarelo-esverdeado, Roxo e Vermelho
  • Azul, Vermelho-alaranjado e Amarelo-alaranjado
  • Amarelo, Vermelho-arroxeado e Azul-arroxeado

Possibilidade 5: Combinações tetrádicas

As combinações tetrádicas têm a mesma distância umas das outras, com o mesmo princípio aplicado nas combinações triádicas.Basicamente, a combinação trabalha com dois pares de cores complementares entre si, criando um efeito dinâmico e bem vívido.

Exemplos de combinações tetrádicas:

  • Laranja, Amarelo-esverdeado, Azul e Vermelho-arroxeado
  • Amarelo, Azul-esverdeado, Roxo e Vermelho-alaranjado
  • Vermelho, Verde, Amarelo-alaranjado e Azul-arroxeado

Possibilidade 6: Combinações monocromáticas

Por último, mas não menos importante, temos as combinações monocromáticas, que consistem em variações de uma mesma tonalidade. Elas são ótimas para simplificar designs mais trabalhosos e criar uma paleta mais harmoniosa, mas que ao mesmo tempo chama a atenção.

O esquema é bem interessante para quem deseja ter sua marca identificada com uma única cor, além de ser útil para mostrar a progressão no design ou mesmo para ter um visual mais sofisticado com cores mais brilhantes.

Exemplos de combinações monocromáticas:

É possível explorar várias paletas partindo de qualquer cor do círculo cromático. Faça o testes e monte sua própria paleta!

Lembre-se também que você não é obrigado a se limitas somente à essas possibilidades. Deixe a criatividade fluir e utilize o círculo cromático como guia para explorar outras possibilidades que vão além dessas que foram citadas.

Leia também: Entendendo as regras de cores

Onde encontrar as combinações do círculo cromático?

Nossa explicação foi bem didática e trouxe os detalhes de como as combinações funcionam, o que te permite experimentar por conta própria todas as possibilidades que o círculo de cores oferece. Porém, ainda assim, é possível recorrer ao auxílio da tecnologia para isso.

O círculo cromático do Canva (em inglês) pode ser acessado em uma página online super simples e intuitiva: basta escolher a cor desejada direto do círculo de cores ou por meio de seu código hexadecimal e, depois, escolher qual será a combinação de cores.

As opções são as seguintes:

  • Combinação complementar;
  • Combinação monocromática;
  • Combinação análoga;
  • Combinação triádica;
  • Combinação tetrádica.

Depois de escolher a combinação ideal, o próprio círculo cromático já exibirá os outros tons sugeridos, o que te poupa o trabalho de fazer isso manualmente.

Além disso, para quem usa o Canva ou tem interesse em fazê-lo, a ferramenta dá a opção de exportar a paleta ou de criar gráficos com as cores escolhidas, o que pode ser uma mão na roda para trabalhos simples ou para quem não possui tanta experiência com ferramentas mais avançadas e complexas de design gráfico.

Onde encontrar mais exemplos de combinações do círculo cromático?

Fica aqui mais uma vez a menção para o Canva. A ferramenta tem uma página em seu site com 100 combinações de cores e como aplicá-las aos seus designs (em inglês), a qual traz exemplos práticos de fotos com as paletas escolhidas e como as combinações realmente dão certo, como essa:

Além de cada imagem trazer ao lado sua paleta de cores, é possível confirmar os nomes das cores e seu código hexadecimal para facilitar seu uso.

Se você quer exemplos mais práticos de como usar o círculo cromático e como isso realmente faz a diferença nos seus trabalhos, a página pode ajudar bastante neste processo.

Saber como usar o círculo cromático te transformará em um designer ainda melhor!

Não há dúvidas de que o círculo cromático é um dos maiores amigos dos designers. O ideal é que ele faça parte da sua rotina, pois assim te ajudará a saber como combinar cores no design, o que está diretamente relacionado com a qualidade do seu trabalho profissional ou por hobby.

Com isso, você saberá como montar uma paleta de cores para seus projetos de design de acordo com o que cada um pede em relação às emoções, sentimentos e mensagens que se deseja transmitir, o que facilita o trabalho e o torna ainda mais valioso.

Esperamos que você tenha entendido como usar o círculo cromático e adquirido outros conhecimentos interessantes, de quem criou o círculo cromático a como combinar cores no design.

E aí, você já sabia o que é círculo cromático? Esta é uma ferramenta que costuma fazer parte do seu dia a dia? Qual é o seu tipo de combinação preferida? Deixe sua opinião aqui nos comentários e nos vemos na próxima!

Guilherme Dantas

Escrito por Guilherme Dantas

Fundador do Designerd, empreendedor digital, apaixonado por criatividade, carros, educação financeira e cinema. Arranhador profissional de violão nas horas vagas.

Deixe uma resposta

Avatar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…