in , ,

Estamparia: prós e contras de cada técnica

Acredito que todo criativos adora personalizar, criar seu próprio estilo. A camiseta pode ser sua própria assinatura e fazer suas estampas não é tão difícil se você já tem o conhecimento necessário nas ferramentas e a ideia na cabeça.

O ramo de estamparia, brindes,etc, ainda é uma área muito interessante para empreendedores designers ou não. Um segmento que pode ser iniciado com um investimento relativamente baixo e tem uma alta demanda.

Então seja você um designer querendo criar uma camiseta para si próprio, ou para sua empresa, veja algumas das principais técnicas da impressão de camisetas e seus prós e contras:

Transfer

transfer

Transfer, como já diz o nome, significa “transferência”. Você transfere a imagem do papel para a camiseta. Ele é um dos métodos mais fáceis de começar, por ter um baixo custo de produção, já que a imagem pode ser impressa em uma impressora simples, jato de tinta, em um papel próprio para transfer.

Quando a impressão está pronta, você coloca a folha contra a camiseta e usa a prensa térmica para transferir a imagem para a camiseta e então ela gruda no tecido.

Esse processo não está tingindo a camiseta, mas sim aplicando uma camada do papel transfer nela. Por isso que camisetas transfer passam aquela sensação de que a área impressa fica mais “dura”, pois não há só tinta e tecido ali, mas também o material adesivo do papel.

Prós:

1. Sem quantidade mínima, com baixo custo e alta lucratividade.

2. Utilizando determinadas técnicas, pode ser impresso em camisetas escuras, mas fica com uma nítida aparência de adesivo grudado no tecido.

Contras:

1. Pior durabilidade entre as técnicas. Perde cores nas primeiras lavagens.

Sublimação

sublimacao

A sublimação é semelhante ao Transfer na questão de transferir. A diferença principal vem em como a tinta é transferida e aonde pode ser aplicada.

Sublimação, quimicamente falando, é quando os elementos passam do estado sólido para o gasoso diretamente, sem passar pelo estado líquido. Um ótimo exemplo é o gelo seco, muito utilizado em festas. A fumacinha branca que vemos vem de um tipo de pedra que nada tem a ver com gelo, propriamente dito.

No caso da sublimação para estampas, o desenho é impresso em um papel com uma tinta sublimática. A tinta passa do líquido para o sólido. Após impressa, ela é prensada em uma prensa térmica, junto com a camiseta, chegando a altas temperaturas. Nesse processo a tinta em estado sólido vira vapor e penetra na camiseta, aderindo totalmente.

Esse processo só funciona de maneira perfeita em camisetas brancas (também é com a sublimação que podemos aplicar estampas em canecas, bonés, etc), mas pode ser feita uma sublimação total, por exemplo, para preencher uma camiseta completamente. O interior da camiseta continua sendo branco, mas seu exterior pode ser totalmente personalizado.

Prós:

1. Você não precisa se limitar em relação a quantidade de cores, já que a impressão passará por completo na camiseta.

2. Como existe a possibilidade de fazer uma sublimação completa, é possível fazer a sublimação de imagens em fundos escuros também.

3. É um processo rápido e o custo unitário de impressão para 1 ou 100 camisetas é muito próximo, por não ter a necessidade de criar chapas da imagem, como na silk.

Contras:

1. Não é possível estampar tecidos escuros.

2. Obrigatoriamente a camiseta deverá ter tecido sintético (poliéster, por exemplo), que costuma ser menos confortável e mais quente que algodão (a não ser as mais caras, semelhantes as de futebol).

Silk (serigrafia)

silk

No silk utilizamos telas com os recortes feitos em telas de material sintético, onde a tinta passa apenas nos locais desejados. O processo é bem manual, assim como as outras técnicas.

Para cada cor, é necessário a produção de uma dessas telas, fazendo a produção ser mais cara e demorada, mas com um bom resultado.

O processo de passar a tinta para o tecido é feito com a utilização de pranchas (berços) para apoiar e esticar as camisetas e a tinta é aplicada sobre as telas que ficam encaixadas na área desejada da camiseta. A tinta é espalhada pelo impressor, utilizando um rodo para distribuição uniforme pela tela.

Prós:

1. Melhor resistência entre as técnicas apresentadas.

2. Baixo custo de equipamentos.

3. Funciona em tecidos escuros.

Contras:

1. Limitação de cores (necessidade de usar 1 chapa/matriz para cada cor). Mas com a utilização da quadricromia (4 cores) podemos alcançar a composição de cor desejada, assim como uma impressora CMYK.

2. Alto valor de produção para baixa quantidade (devido ao custo de produção das matrizes).

Impressão digital

impressao

É a impressão feita diretamente na camiseta, como se o tecido fosse o papel de uma impressora.

A impressão digital é a mais recente tecnologia para estamparia, ela te dá uma qualidade próxima ao silk, mas com um ganho na agilidade e a facilidade de não precisar produzir telas para cada cor. Assim, não há um custo tão grande em produção em baixa escala, pois o valor das telas de cor não precisará ser rateado no total de camiseta.

O problema maior é o custo do equipamento, que com certeza é de longe o mais caro das técnicas apresentadas.

Prós:

1. É possível imprimir diretamente em tecidos escuros sem aquela aparência de adesivo do transfer.

2. Sem limite de cores.

3. Impressão em tecidos de algodão, mais confortáveis.

4. Não cria a necessidade de ter uma quantidade mínima para confecção, possibilitando camisetas sob-demanda.

Contras:

1. Custo do equipamento e tintas.

2. Manutenção da máquina.

3. O maior custo por parte do fornecedor acaba refletindo no valor final do produto, mas ainda sim é muito mais barato que a Silk, quando forem feitas poucas unidades.

Conclusão:

Dessas 4 técnicas, as mais fáceis de encontrar são as 3 primeiras (transfer, sublimação e silk). O transfer tem como principal problemar a durabilidade, a sublimação tem a questão do tecido que deve ser usado e no Silk existe a barreira do alto valor unitário mesmo para baixa escala. Para a produção de poucas peças muitas vezes a Impressão Digital é mais econômica.

Independente do método que escolher, é bom que todos nós conheçamos as particularidades de cada uma. Espero ter ajudado um pouco nisso.

Escrito por Julian Nunes

Designer e professor nas áreas de computação e editoração gráfica e também apaixonado por cinema, animação, motion e flertando com fotografia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…