in ,

Como se qualificar para empresas estrangeiras que contratam designers no Brasil

Ser designer fora do Brasil pode ser uma tarefa difícil, seja pela diferença cultural, seja pela distância de casa, ou até mesmo pela desvalorização do trabalho.

Mas, com a globalização e a presença do serviço de home office cada vez mais forte, é possível realizar tarefas, fazer acordos e até mesmo trabalhar em qualquer parte do mundo. E isso é uma ótima notícia para os designers gráficos!

No geral, o trabalho de designer já é universalizado, sendo quase impossível dizer a nacionalidade de um profissional apenas olhando para o trabalho desenvolvido. Dessa forma, é cada vez mais fácil trabalhar no exterior, morando no Brasil.

Quais os requisitos necessários para trabalhar fora do Brasil?

Você pode levar em conta alguns pontos para se destacar nesse mercado globalizado e conseguir a sua tão sonhada vaga, sem sair de casa. Listamos para você algumas dicas essenciais:

Organize seu portfólio

A maneira como você se apresenta é essencial! E para conseguir vagas globais, é preciso adaptar tanto o currículo, quanto o portfólio, para línguas estrangeiras, principalmente o inglês.

Uma dica valiosa é pedir ajuda para pessoas nativas, que vão saber adaptar os textos ao contexto cultural do local. Ou, até mesmo, pesquisar gírias e coloquialismos gerais para deixar o texto o mais natural possível.

Por exemplo, se você estiver querendo trabalhar nos Estados Unidos, tente colocar as informações em uma linguagem semelhante à usada pelos americanos. Assim, o seu portfólio internacional ganha mais credibilidade.

Atualize seu perfil no LinkedIn

Nos últimos anos o LinkedIn vem aumentando bastante a base de usuários e muitos recrutadores (inclusive de empresas estrangeiras) usam a plataforma para anunciar vagas e marcar entrevistas.

Por isso, ter um perfil atualizado e se candidatar para vagas home-office divulgada por empresas estrangeiras dentro da sua área de atuação é uma ótima maneira de aumentar as chances de garantir uma vaga.

Se garanta no idioma

Mesmo que você trabalhe sem sair de casa, pode ser que tenha que participar de reuniões e calls com um time global e tenha que enviar e-mails para a equipe estrangeira.

Dessa forma, é imprescindível que você tenha conhecimento sobre a linguagem. Para ser designer fora do Brasil, você não precisa somente ser um bom profissional, também precisa de diferenciais que deixem a experiência mais natural possível.

Comece aos poucos

Mesmo se você estiver querendo traçar uma carreira de sucesso como designer fora do Brasil, saiba que as dificuldades são muitas e que, algumas vezes, você pode se frustrar.

Mas também tenha em mente que, se a oportunidade chegar, você deve agarrá-la com todas as suas forças. Inicialmente, você pode pegar serviços freelancers, com poucas demandas.

De toda forma, trace metas e se organize da melhor forma. Você pode conferir algumas ferramentas de produtividade e gerenciamento de tempo para usar no Home Office para já começar a definir seu ritmo de trabalho e se profissionalizar desde o início.

Em quais funções posso atuar como Designer fora do Brasil?

Basicamente, a carreira de Designer Gráfico é dividida em três categorias:

  • Junior: profissionais que acabaram de sair da faculdade;
  • Middleweight: profissionais com experiência entre 5 a 10 anos;
  • Senior: profissionais com mais de 10 anos de experiência.

Para subir de uma categoria para a outra, você precisa de experiência. E para trabalhar fora do Brasil, você pode adquirir essa experiência com serviços freelance, cursos estrangeiros, etc.

Como é o trabalho no exterior?

Conforme dissemos, o trabalho do Designer Gráfico é universalizado. Mas os brasileiros são conhecidos pelo foco, pela responsabilidade e pelo cuidado com o trabalho. E isso é um grande diferencial!

Um detalhe importante é que, no exterior, os prazos devem ser cumpridos à risca. Por outro lado, a carga horária é, geralmente, menor do que a que estamos acostumados no Brasil.

Os salários são maiores no exterior?

Comparando os valores pagos por profissionais nacionais aos pagos para os estrangeiros, podem haver variações, mas uma das maiores vantagens de trabalhar como designer fora do Brasil, é a cotação da moeda.

Geralmente, o real é mais desvalorizado que o dólar e o euro, moedas que geralmente são pagas para esses trabalhos estrangeiros. Assim, o valor do trabalho acaba sendo mais alto do que para as mesmas funções exercidas aqui no Brasil.

E você não precisa se preocupar com o câmbio! A Husky te conta como receber dinheiro do exterior de forma simples e fácil.

Quais as vantagens de trabalhar fora do Brasil?

Você já entendeu que é preciso ter conhecimento sobre a língua estrangeira que pretende trabalhar, saber traçar planos e metas de trabalho, como é o trabalho em outros países e, também, como é a remuneração.

Chegou a hora de conhecer alguns pontos positivos sobre o trabalho como Designer fora do Brasil.

Aprenda com as diferenças culturais

Ao trabalhar fora do Brasil, você vai ter contato com pessoas de diversas partes do mundo. Aproveite a oportunidade para aprender com as diferenças culturais. Respeito e mente aberta são características essenciais para se ter uma boa experiência no mercado de trabalho mundial.

Tenha humildade

Ninguém espera que você chegue no primeiro dia de trabalho fora do Brasil e já saiba tudo. Tenha humildade para entender o trabalho, tirar dúvidas, tomar decisões e se relacionar com as pessoas. Esse processo pode levar algum tempo, então, tenha, também, paciência.

Seja interessado

Lembre-se que você vai estar se relacionando com pessoas de todo o mundo, em um trabalho que pode ser novidade para você. Mostre interesse sobre o trabalho, sobre as pessoas e aproveite a oportunidade. E, também, mostre o que você sabe.

Temos uma seção com excelentes ferramentas úteis para designers, que com certeza irão fazer você se preparar melhor para o mercado de trabalho.

Escrito por Husky

A Husky é uma empresa de tecnologia, finanças e atendimento a pessoas que provê tecnologia financeira para facilitar a vida do profissional autônomo que presta serviço a empresas, sejam elas do Brasil ou do exterior.