in

Os “sobrinhos” te incomodam?

Sobrinho

Sim, eles estão por toda parte. Seja na rua, na chuva, na fazenda ou numa casinha de sapê, eles continuarão praticando o que sabem fazer de melhor: cobrar valores absurdamente baixos (muitas vezes ridículos) com o intuito de “roubar” clientes de profissionais sérios. Estamos falando dos “sobrinhos”.

Antes de tudo, pare e responda as seguintes perguntas: Até que ponto a atitude deles influencia diretamente em seu trabalho? Numa escala de 0 a 10, qual o grau de incômodo que você sente com os tais “sobrinhos”?

Um alerta

Se a sua resposta sobre o grau de incômodo a respeito dos sobrinhos for maior que 7 (sete), fica um alerta: talvez você esteja se incomodando demais.

Como assim? A partir do momento que você se torna um profissional, é comum identificar seus concorrentes. São aqueles cujo trabalho se aproximam do seu, chamando a atenção do seu cliente em potencial, que abre uma disputa pra ver com qual profissional irá fechar o negócio: você ou o outro.

Até aí, ok. É normal, é saudável, faz bem para o mercado.

Mas é aí que está o “X” da questão. Você já parou para pensar quem são seus concorrentes diretos? Consegue listar pelos menos três?

Se você concorre diretamente com sobrinhos, algo deve estar errado. O Walmart não é concorrente direto da vendinha do Zé da esquina. A Coca-Cola não se incomoda com aquele refrigerante com gosto de remédio que pode ser comprado por 1 real. Consegue entender o ponto?

É normal (e até divertido) reclamar dos sobrinhos. Mas cuidado para que isso não comece a lhe incomodar demais. É muito melhor focar o tempo, os recursos e a atenção no trabalho, no diferencial e no conhecimento, para que a distância entre você e o “carinha que faz site por 50 reais” só aumente.

Um conselho

Primeiro: coloque na cabeça que sempre existirão sobrinhos. Sempre.

Concentrar seus esforços no seu diferencial é a melhor opção. Agora pare, e pense por alguns instantes: qual é o meu diferencial? O que estou oferecendo aos meus clientes que meus concorrentes não oferecem?

Dessa forma, com o tempo, a preocupação com os sobrinhos irá diminuir muito. Profissionais excelentes vão, na maioria das vezes, atrair clientes excelentes.

Para o cara que quer pagar 50 reais em um site (e acha caro), deixe que pague para outro. Ele nunca seria seu cliente. E você agradece por isso.

O seu diferencial

O diferencial é aquilo que te destaca no mercado de trabalho. É o motivo que o seu cliente encontra para contratar os seus serviços em vez de fechar negócio com seu concorrente.

diferencial

Mas cultivar um diferencial não é tão simples assim. É preciso foco, determinação e muita, muita vontade de sair da zona dos profissionais medíocres. (Medíocre = característica do que é comum, mediano).

Um erro de alguns profissionais é tentar se especializar em várias coisas ao mesmo tempo. A overdose de informações afeta o lado criativo e o resultado é catastrófico.

O melhor a se fazer (digo por experiência própria) é focar em um diferencial de cada vez. Encare-os como etapas, degraus de uma escada.

Ao se sentir confortável em uma habilidade específica recém-aprendida, dedique um bom tempo para treiná-la bastante. Após isso, vá para outra habilidade. Nunca pare de aprender.

À medida que um profissional vai se especializando, os sobrinhos ficam para trás. Aquele incômodo inicial que nos fazia esbravejar e xingar os sobrinhos de tudo quanto é nome, vai sumindo. Até desaparecer quase por completo.

É incrível como o universo conspira a nosso favor quando passamos a focar nossa atenção na absorção de conhecimento e deixamos de ser reclamões.

Portanto, buscar seu diferencial pode te trazer grandes conquistas. Investir em seu conhecimento é o que trará seu merecido reconhecimento.

E quanto aos sobrinhos? Torcemos para que um dia consigam enxergar o mal que fazem para o mercado de trabalho e que mudem de atitude, se profissionalizando o quanto antes.

Imagens da capa via Shutterstock

Escrito por Guilherme Dantas

Fundador do Designerd, empreendedor digital, apaixonado por design, marketing digital, carros, cinema, astronomia e física quântica. Arranhador profissional de violão nas horas vagas.