in ,

Branding + Filosofia: 13 dicas filosóficas para construção de marcas

ideias-filosoficas-branding

Para aqueles que tem interesse na criação de marcas, o livro “The philosophy of Branding” de Thom Braun dá algumas dicas entre a criação do produto em si e de ideias de grandes filósofos do mundo.

Aposto que você nunca tinha pensado que poderia haver uma ligação tão palpável entre elas,né?

O autor faz, de maneira dissertativa-argumentativa algumas citações acerca da filosofia e a história da humanidade e como esses itens podem refletir na hora da criação e, dessa maneira, entendendo e fundamentando os ideais filosóficos-humanista para que os projetos sejam bem executados.

Confira abaixo uma seleção de 13 dicas retiradas do livro.

1. Nada é estável no mundo em que sua marca existe (HERÁCLITO)

Este conceito reforça que sua marca deve ser gerida na perspectiva de um fluxo contante, mutável e adaptável.

2. Ponha tudo em causa (SÓCRATES)

Não ache que tudo está garantido e, principalmente, não aceite algo que não sinta que é verdade.

3. A dualidade da natureza (PLATÃO)

A natureza da marca deve estar sempre suscetível a mudanças e ao mesmo tempo manter seus ideais.

4. Para quem é a marca? (ARISTÓTELES)

Muito óbvio,né? Essa pergunta ajuda a direcionar o foco do produto.

5. Identifique o núcleo da marca (DESCARTES)

Compreender o cerne da marca e o tipo de motivação que ela ativará.

6. As propriedades da marcas o que os consumidores pensam dela, não podem ser tratadas de formas separadas (SPINOZA E LEIBNIZ)

A opinião do consumidor sobre a marca está sempre relacionada com suas características, isto também é chamado de transparência.

7. Estabeleça de forma clara as diretrizes da marca sintonizando-as com o presente (LOCKE)

É importante alinhar o espaço-tempo da marca, pois é uma das melhores formas de conquistar e fidelizar clientes.

8. Não seja tão lógico nem racional (HUME)

Tudo tem o seu limite, não abuse demais do sentimentalismo ou do racionalismo.

9. A razão não é a resposta (RUSSEAU)

Resgatando o item 8, leve em consideração TAMBÉM as emoções.

10. Você não sabe tudo sobre os consumidores (KANT)

Afinal, eles são e sempre serão uma caixinha de surpresas. É mais fácil entender, mas nunca será possível conhecer a fundo.

11. A mudança pode ser acelerada (HEGEL)

Algumas mudanças inclusive exigem isso.

12. Os valores estão no centro da marca (NIETZSCHE)

Eles não são meros apêndices, mas o carro chefe da criação.

13. Se dedique a vários aspetos (WITTGENSTEIN)

Muito podemos fazer pela marca, em diversos pontos. Ao trabalharmos os 4 Ps (produto, preço, praça e promoção), por exemplo, temos no mínimo vários aspectos para nos atentarmos.

Escrito por Guilherme Dantas

Fundador do Designerd, empreendedor digital, apaixonado por design, marketing digital, carros, cinema, astronomia e física quântica. Arranhador profissional de violão nas horas vagas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…