in , , ,

A importância de utilizar referências (e onde buscá-las)

Neste artigo eu vou te explicar um pouco sobre criatividade, imaginação e referências.

As referências são um fator crucial no desenvolvimento de soluções criativas.

Nada é do nada, e reconhecer as referências como um recurso importante não apenas como inspiração mas otimização do tempo, é um passo importante para avançar para o próximo nível no Design.

De onde vêm as ideias

O ser humano só é capaz de criar à partir de coisas que ele conhece.

Até mesmo as criaturas místicas são frutos de coisas que já existem, só que combinadas. Uma sereia é uma mulher-peixe, um centauro é um homem-cavalo e um unicórnio é um cavalo com chifres.

Temos em mente a imagem de cada uma dessas coisas separadamente, foi necessário um pouco de imaginação para combiná-las.

A imaginação é uma capacidade mental que permite a representação de coisas e momentos existentes ou inexistentes.

Imaginação e criatividade são estritamente ligados, só que a criatividade é a imaginação posta em prática.

Outra definição para criatividade é estratégia em ação, um caminho para resolver um problema.

Dito isto, a principal fonte de ideias (pasme) são outras ideias.

Ter consciência disso torna o processo criativo muito mais prático e direcionado.

“Na natureza nada se perde, tudo se transforma.”

E a capacidade de criar não é exclusiva para profissionais que trabalham com Arte e Design, mas qualquer profissional que precise criar soluções.

As referências são formas de começar um projeto, seja qual for, a partir de outro ponto zero.

O ponto zero do primeiro avião foi o voo dos pássaros, do segundo avião o primeiro e por aí vai.

Não é necessário inventar a roda a cada novo projeto, mas utilizar as referências ao seu favor para ter um novo ponto de partida.

Tipos de referências

Basicamente, existem duas maneiras de capturar referências.

Elas podem vir através de buscas intencionais e direcionadas ou de consumo despreocupado.

No último caso, são coisas que você não faz ideia que podem servir como referência, mas ficam na memória (uma espécie de baú de referências) e pode ser usado em algum momento.

Isso é o que chamamos de repertório. Por isso a importância de consumir muito de tudo.

Repertório (também conhecido como bagagem) é um conjunto de conhecimentos armazenados que facilita a consulta mental e familiaridade sobre um tema.

Já na coleta direcionada, há uma busca específica para solução de um problema, há intenção de buscar algo que seja um novo ponto de partida.

Pensando nesse modelo, categorizei os tipos de referências direcionadas em duas formas: descritiva e contextual.

1- Descritiva

No Design de logotipos, por exemplo, uma referência descritiva é outro logotipo.

Vamos supor que você esteja criando um projeto de logotipo para uma empresa de tecnologia. Outros projetos desse nicho são as referências descritivas.

“Éricles, mas buscar assim não facilita no plágio?”

Muito pelo contrário, ter consciência sobre o que já foi criado te ajuda a desenhar outros caminhos, ou até mesmo a combinar soluções. Talvez esse seja o segredo oculto dos criativos.

Se você não pesquisar as referências descritivas de um nicho, as chances de desenhar uma solução idêntica ou muito parecida é muito grande.

2- Contextual

Por outro lado, a referência contextual refere-se a elementos que te ambientam à identidade ou humor de um projeto.

Não são referências descritivas, mas auxiliam no processo de definição de conceito.

Exemplos disso são os painéis semânticos ou moodboards.

Moodboard

É um quadro de referências visual que contextualiza o universo gráfico de um projeto específico. É utilizado na moda, design de interiores, design gráfico, decoração entre outros.

Serve para comunicar visualmente o “humor” de um projeto através de fotografias, cores e texturas.

Bloqueio criativo

O que normalmente as pessoas entendem como bloqueio criativo pode ter uma razão muito menos abstrata.

Escassez de informações sobre o projeto ou falta de referências são os motivos mais frequentes. Se você não sabe o que precisa ser feito, dificilmente vai saber o que fazer.

Isso pode ser resumido como falta de clareza sobre qual caminho trilhar, por isso, quando o assunto é bloqueio criativo, faça essas perguntas antes de continuar:

  • Tenho clareza do objetivo deste projeto?
  • Possuo referências o suficiente para executar?
  • Qual a qualidade das minhas referências?

Garanto que esse pequeno passo já vai te ajudar muito.

Explicado sobre criatividade, imaginação e importância das referências para desenvolvimento de um projeto, vamos falar sobre onde encontrar as referências.

Onde buscar

Mais importante do que saber ONDE buscar é saber O QUE buscar. O Briefing vai servir como um guia para esse momento. Já falei sobre ele em outro artigo.

Graças à internet, podemos ter acesso a milhões de sites com referências.

Nas próximas linhas, separei para você alguns deles que eu utilizo para inspiração e busca de cada um dos recursos.

Logotipos

Existem dezenas de sites que você pode encontrar excelentes referências para um projeto de logotipo, mas vou te sugerir os que uso quase que diariamente:

O Google é a maior ferramenta de busca da internet, e muita gente esquece que por lá você consegue fazer buscas direcionadas, encontrar resultados e, a partir dos resultados, encontrar outros similares.

Tipografia

Cores

Imagens

Conclusão

Todo projeto precisa de referências. É impossível que qualquer projeto seja isento de influências e inspirações. Um bom criativo consegue reconhecer isso e utilizar ao seu favor.

Referências somadas ao seu repertório, desenvolvem um estilo de criação único, o seu.

Escrito por Éricles Batista

Designer de marcas e empreendedor digital apaixonado por Matemática, música, processos e cozinha. 90% dedicado e 40% chato segundo sua namorada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…