in ,

10 Tendências de Design Gráfico para 2022

O design nunca foi e nunca será estático. Assim como a moda e a arquitetura, o universo do design gráfico também é dinâmico, criando a todo momento novas tendências.

Essas tendências são reflexo de muitos fatores externos e internos, de tudo que nos rodeia e daquilo que sentimos.

O fato é que é impossível prever uma tendência, exceto quando ela já existe. Por isso, nesse artigo separamos 10 tendências de design gráfico que já estão em evidência e que provavelmente crescerão ainda mais no próximo ano.

O 3D está com tudo

É cada vez mais comum designers adotarem o estilo de ilustração 3D em seus trabalhos. A rápida evolução de tecnologias e de recursos de softwares ajudou na popularização desse estilo, fazendo com que ilustrações tridimensionais fossem bastante usadas em design digital, publicações de mídias sociais e branding.

Uma tendência clara é a criação de mascotes 3D que acabam se tornando influenciadores digitais das marcas, estratégia adotada por diversas empresas, como no caso do redesign do mascote das Casas Bahia (antes Bahianinho, agora CB), criação do estúdio Miagui.

CB, o mascote 3D das Casas Bahia, criação do estúdio Miagui.

Embora o 3D já exista há um bom tempo, a facilidade, versatilidade e rapidez que os softwares atuais oferecem em sua criação faz desse estilo uma grande aposta para para os próximos anos.

Outra importante tendência do design 3D é a tipografia. Seu estilo característico adiciona uma estética realista no texto, criando efeitos visuais surpreendentes, que parecem fazer a palavra “saltar da tela”, como nesses exemplos do artista digital Ben Fearnley.

Trabalhos de tipografia 3D do artista Ben Fearnley

A comunicação essencialmente digital adotada por muitas marcas facilita o uso despreocupado do 3D, já que a limitação que existe em mídias impressas não é nenhum problema em mídias digitais.

E que dizer de logotipos 3D? Talvez ainda seja cedo dizer que isso é uma tendência que veio para ficar, pois vai totalmente na contramão dos crescentes redesigns minimalistas que observamos nos últimos anos.

Porém, as marcas poderão explorar mais a estética tridimensional de seus logotipos nos meios digitais, como no exercício criativo do designer Martin Naumann, que criou versões cromadas 3D de vários logotipos famosos.

Exercício criativo do designer Martin Naumann

Sim, o 3D veio com tudo e podemos esperar que ele esteja cada vez mais presente na comunicação das marcas, criando uma crescente demanda por profissionais que dominam essa área.

A era dos NFT’s

Mesmo que você não entenda muito sobre criptoativos, provavelmente já ouviu falar no termo “NFT” (sigla para Token Não Fungível, em inglês).

Esses tokens são ativos digitais exclusivos, como obras de artes digitais, que são registrados publicamente em uma blockchain.

Alguns designers e ilustradores já estão utilizando essa tecnologia para vender seus trabalhos, como o caso do ilustrador 3D Amrit Pal Singh, que transformou sua série de ilustrações Toy Faces em NFT’s.

Obras digitais do ilustrador 3D Amrit Pal Singh

O potencial desse mercado é gigantesco, apesar de ser ainda pouco explorado pela população em geral.

O recente anúncio do metaverso pelo Facebook – uma idealização de mundo digital onde a realidade virtual e realidade aumentada são proeminentes – é uma das razões para acreditar que esse assunto ainda será muito discutido nos próximos anos.

Logotipos simplificados

O minimalismo continua firme e forte, principalmente quando o assunto é criação de logotipos.

Ao longo dos últimos anos, muitas marcas decidiram recriar seus logotipos assumindo uma estética mais simples e minimalista, deixando para trás seus antigos designs mais complexos e cheios de detalhes.

O resultado foi uma grande onda minimalista que atingiu diversas marcas em 2021, principalmente no ramo automotivo.

Exemplos de marcas que adotaram logotipos minimalistas em 2021

Apesar do minimalismo ser uma tendência que já está bem estabelecida, poderemos ver ele cada vez mais tendo que dividir o palco com uma tendência que está na outra ponta e que vêm crescendo bastante, principalmente em ilustrações. Estamos falando do…

Maximalismo

O objetivo do maximalismo é rejeitar a simplicidade e abraçar o excesso. Esse estilo bebe da mesma fonte do Antidesign e busca combinações de cores ousadas, padrões contrastantes, quebra de regras e saturação de sentidos.

Por mais contraditório que pareça, o designer ou ilustrador que optar por esse estilo precisa “saber quebrar regras” para que o resultado não pareça amador.

Um belo exemplo é o trabalho do ilustrador e designer Loïc Kessler, que cria ilustrações com muitos elementos e cores saturadas, criando um estilo próprio.

Obras do ilustrador e designer Loïc Kessler

Movimento

O conteúdo estático está se tornando cada vez mais obsoleto, forçando empresas a criarem conteúdo publicitário com movimentos e animações para capturar a atenção dos usuários e fazer com que eles parem de rolar a tela (pelo menos por alguns segundos).

Isso criou uma forte demanda por motion designers, que utilizam formas, cores e tipografia animada para criarem peças que se distinguem da concorrência, trazendo resultados reais (e mensuráveis) para as empresas que os contratam.

No vídeo acima você pode notar o dinamismo que o movimento traz para uma marca. Trabalho do estúdio Holographik.

Se você é um designer gráfico que está acostumado a trabalhar com conteúdo estático, considere a possibilidade fazer um upgrade em suas habilidades e mergulhar no universo do design de movimento.

Surrealismo Abstrato

O surrealismo não é um movimento novo, porém tem aumentado bastante nos últimos tempos tanto na arte quanto no design digital.

Essa tendência costuma apresentar ilustrações fantásticas, paisagens e elementos bizarros, montagens e colagens que parecem ter saído de um sonho.

Um exemplo é o excelente trabalho do artista digital Retoka que usa muitas cores e formas geométricas abstratas para criar verdadeiras obras de arte.

Obras do artista digital Retoka

Gradientes suaves

Ainda no universo onírico, os gradientes suaves parecem ter saído de sonhos e também são uma grande tendência que está tomando conta do mundo do design gráfico.

Com uma aparência etérea, tons pastéis suaves e texturas granuladas, esses gradientes podem ser observados em vários lugares, desde postagens em redes sociais, web design até branding e design de embalagens.

Minimalismo colorido

Se ao pensar em minimalismo você já imagina uma paleta de cores monocromática e muito espaço em branco, talvez seja a hora de rever seus conceitos.

A tendência do minimalismo colorido vem do minimalismo clássico, porém sem abrir mão de paletas coloridas e muitas vezes vibrantes.

Trabalho de branding da designer Katherine Friedrich

O estilo está cada vez mais popular no branding, combinando quantidades generosas de espaço em branco com cores vivas e vice-versa.

Eco-Estética

As preocupações com o meio-ambiente estão cada vez maiores, e podemos notar essa tendência principalmente no design de embalagens.

A eco-estética vai além da simples alusão à natureza e à biodiversidade em peças de design gráfico. Materiais, tintas e acabamentos sustentáveis se tornaram protagonistas, fazendo com que grande marcas os encarassem como itens obrigatórios em suas embalagens.

Embalagem sustentável para uma marca de chás, projeto da designer Ioanna Alexandrou

Designers de Produto precisam cada vez mais se atualizarem sobre tipos de materiais ecologicamente corretos, para que seus designs contribuam para um futuro mais sustentável.

Tipografias excêntricas

A tipografia está em constante mudança, e ultimamente vem ganhando bastante espaço no design gráfico, muitas vezes ocupando o protagonismo.

Letras alongadas e contínuas estão tomando conta de publicações em redes sociais e títulos de sites, como no exemplo abaixo, um portfólio online criado pelo designer Alex Tkachev.

Uso de letras alongadas e contínuas em título, criação do designer Alex Tkachev.

Outra característica da tipografia excêntrica é a utilização de diferentes espessuras de linhas em logotipos, onde as palavras ganham uma estética mais ousada e divertida, assumindo um design totalmente diferente do que estamos acostumados.

Logotipo com diferentes espessuras de linhas e tipografia excêntrica, criação da designer Eliza Braun

A estética retrô na tipografia também está de volta, resgatando efeitos, formas e estilos bem característicos de épocas passadas, porém com um ar mais moderno e muitas vezes remodelado.

Foi o caso do redesign recente do Burger King, cujo logotipo voltou à estética usada entre 1969 e 1999, afirmando que, assim como a moda, o design também pode ser cíclico.

Conclusão

Quando falamos em tendências de design para os próximos anos, não estamos estabelecendo regras, mas sim evidenciando algumas coisas que já estão acontecendo.

Uma tendência ou estilo não surgem de uma hora para outra numa simples virada de ano, mas é um processo contínuo que acontece de modo gradual ao longo de um período desconhecido, que pode ser curto ou longo.

Pessoas mudam, pensamentos amadurecem, estilos vêm e vão e é natural que o design também siga esse caminho.

Fontes de pesquisa:

  1. Tendências de Design Gráfico para 2022 da Envato
  2. Relatórios de Tendências de design para 2022 da Shutterstock
  3. Tendências de Design de Logotipo para 2022 da 99Designs.

Escrito por Guilherme Dantas

Fundador do Designerd, empreendedor digital, apaixonado por criatividade, carros, educação financeira e cinema. Arranhador profissional de violão nas horas vagas.