in , ,

Para que serve e como utilizar a compensação de exposição

Na continuação da nossa série sobre dicas práticas para tirar melhores fotografias, vamos explorar um pouco mais a questão da exposição, que é absurdamente importante para que sua foto fique exatamente do jeito que gostaria.

No artigo anterior nós vimos como utilizar o histograma, então esse artigo é uma sequência desse conceito, já que o histograma faz o papel de analisar a exposição da foto, enquanto a compensação realmente altera como a imagem está balanceada em termos de iluminação.

A compensação de exposição é um recurso que utilizamos quando necessário, principalmente quando nossos ajustes manuais não atingiram o objetivo (saiba mais sobre isso lendo o primeiro  artigo dessa série).

Isso não quer dizer que ela é um último recurso, mas sim uma opção sempre válida para repensar a imagem capturada.

Afinal, o que é compensação de exposição?

Seja em câmeras DSLR ou Mirrorless, quando nós estamos falando de equipamentos profissionais ou semi-profissionais, o recurso da compensação de exposição está presente. Ele se baseia na medição de luz capturada pelo fotômetro (aquela linha com tracinhos que pendem mais para um lado ou para o outro conforme a luz da cena).

Abrindo um parêntese, o fotômetro funciona de maneira semelhante ao histograma, mas com menos detalhes, principalmente de contraste, mas é uma análise muito mais rápida de fazer do que ficar analisando os gráficos desse recurso.

Esse reconhecimento menor do contraste acontece principalmente porque o fotômetro vê a imagem apenas em tons de cinza já que sua função é baseada na luz (claro e escuro). Quando você tem na mesma imagem áreas um contraste muito alto, o próprio preto e branco, por exemplo, o fotômetro pode ficar um pouco confuso e acabar deixando suas imagens subexpostas ou superexpostas.

Voltando para a compensação de exposição, outro nome utilizado para ela, como encontramos muito nos controles da câmera, é o EV (Exposure Value) e o ícone para esse botão é o de + – (sinal de mais e sinal de menos).

Quando clicamos nele podemos escolher entre números positivos e negativos, que basicamente vão deixar a imagem mais clara ou escura quando estamos capturando nos modos semiautomáticos.

Mas, por que o controle de EV só funciona nos modos semiautomáticos?

Essa função só serve quando você estiver usando o modo P (prioridade de abertura ou prioridade de velocidade), pois o objetivo desses modos é que a câmera ajuste automaticamente os recursos que você não estiver controlando e esse ajuste vai ser feito sempre para que a imagem mantenha-se iluminada.

Então quando você coloca valores negativos de compensação, por exemplo, você está dizendo que quer propositalmente que a câmera deixe a imagem mais escura, para fazer isso ela aumenta a velocidade, ou diminui a abertura (dependerá do modo que estiver fotografando).

Mas, como a câmera faz esse reconhecimento de luz e sombra? É a partir de um ponto específico ou é uma média geral de toda área capturada? Você escolhe!

Modos de análise do fotômetro

É comum termos pelo menos três modos de medir a luz da área que queremos fotografar:

Geral / Matricial

Ao usar esse modo (provavelmente é o que está na sua câmera agora, caso nunca tenha alterado essa opção) a câmera faz uma leitura completa da imagem e a partir de um tipo de média entre os tons ela ajusta as configurações necessárias para deixar a imagem nessa média.

Esse modo é bom para ambientes com iluminação controlada e mais uniforme, assim as áreas ficarão com um bom contraste dos tons de luminosidade.

A desvantagem desse item acontece quando temos um fundo com luz muito maior ou menor do que o personagem ou objeto a capturar. Como o fundo normalmente vai ocupar mais espaço na medição, a foto tende a ficar prejudicada justamente na área desejada, deixando o objeto principal subexposto ou superexposto.

Central

Como já diz o nome, faz a análise do meio da foto. É comum usar esse modo pois não é difícil de encontrar situações onde o objeto a ser capturado estará no centro da imagem.

Se você quer usar esse modo mas o personagem ou objeto não está no centro da imagem, faça uma pequena gambiarra técnica: posicione o objeto no centro da foto e faça a análise do fotômetro segurando levemente o botão de captura. Após a câmera fazer a análise e configurações necessárias, aí voltamos para o enquadramento correto e tiramos a foto.

É um modo que tem mais controle que o anterior, mas ainda dificulta um pouco o fato de ter um ponto fixo de análise.

Pontual

É o modo que usamos quando queremos que o fotômetro meça uma área específica da imagem. Assim você controla quem que você quer que a câmera mantenha bem iluminado.

É um modo especialmente útil ao trabalhar em ambientes de variação de luz entre os objetos a serem capturados. Sendo assim temos mais controle inclusive para utilizar a compensação.

Algumas câmeras não dão a possibilidade de mudarmos a posição do ponto que fará essa medição, aí temos que usar a técnica anterior (central).

Então, quando usar o EV?

Além da questão já mencionada, de utilizar a compensação apenas nos modos semiautomáticos, existem algumas situações em que é especialmente útil aproveitar desse recurso:

Fundo e objeto com muita diferença de luz

Esse provavelmente é o principal motivo de você utilizar o controle de exposição: quando o seu objeto estiver contra a luz ou se você deseja capturar apenas uma área pequena iluminada e a maior parte da imagem continuará escura. Assim os controles se ajustarão para que a imagem fique do jeito que quiser, mesmo que não seja do jeito que a câmera ache “correto”.

Paisagens diurnas

Fotos de paisagens com um céu limpo e muito iluminado tendem a ficar superexpostas se houver mais algum elemento na cena, pois, se a câmera tentar ajustar a exposição para que aquele objeto fique na média, o céu vai ficar muito claro. Sendo então uma ótima pedida reduzir a compensação de exposição.

Câmeras que tendem a deixar as fotos subexpostas ou superexpostas

Muitas câmeras tem em sua regulagem automática a tendência de ficar um pouco mais claras ou escuras do que gostaria. Caso não seja sua intenção utilizar os controles completamente manuais, a melhor opção é aumentar um pouco a exposição.

Objetos pequenos em movimento

Pequenos animais como insetos e pássaros se movem rápido, fazendo com que muitas vezes saiam do plano em que você estava tentando focar quando utiliza uma abertura muito grande. Então se você optar por usar o modo de prioridade de abertura, você consegue deixar uma abertura menor (o número f/ maior). Mas aí nesse caso a câmera tenta compensar essa diminuição de entrada de luz diminuindo a velocidade, causando imagens borradas.

Nesse caso é mais fácil compensar a exposição negativamente, assim a câmera vai aumentar a velocidade necessária para chegar naquela configuração, causando uma imagem propositalmente mais escura. Isso poderia ser um problema, mas como você vai tirar essa foto em RAW ainda da para salva-la na pós-produção.

Conclusão

Viram que esse botão não tem segredo, principalmente porque ele vem para ajudar modos que não são os modos completamente manuais. Então ele poderá ajudar muito que você chegue nos resultados que deseja de maneira rápida.

Se gostaram das fotos, lembrem de visitar o iStock para muitas outras, pois assim como nos artigos anteriores dessa série, usamos as fotos deles para ilustrar as explicações.

Até a próxima!

Escrito por Julian Nunes

Designer e professor nas áreas de computação e editoração gráfica e também apaixonado por cinema, animação, motion e flertando com fotografia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…