Muitos projetos fotográficos encantam nossos olhos, mas poucos são tão fascinantes quanto esse.

Durante quatro anos, a fotógrafa romena Mihaela Noroc viajou o mundo e fotografou mulheres de diversas faixas etárias e com histórias de vida diferentes para mostrar que a verdadeira beleza é a diversidade, e não apenas o que vemos nas mídias de massa.

O projeto deu origem ao livro Atlas of Beauty, com mais de 500 retratos e muitas histórias incríveis.

Confira suas belas fotografias:

Nepal

A nepalesa Sona estava celebrando o Holi (festival das cores) no momento da fotografia

Etiópia

Ela é muçulmana e sua melhor amiga, outra jovem, é cristã. Ao viajar para a Etiópia a fotógrafa se admirou como cristãos e muçulmanos se davam bem na região.

Irã

Mahsa é designer e se orgulha de ser financeiramente independente desde que tem 18 anos.

Azerbaijão

Em uma região onde muitas mulheres ainda tem medo de ser fotografadas sem pedir permissão aos seus maridos, Fidan busca o respeito e o tratamento igualitário.

Floresta Amazônica

Essa nativa estava vestindo sua roupa de casamento.

Afeganistão

Ela estava trabalhando no campo em um dos lugares mais remotos do mundo.

Guatemala

Maria estava vendendo vegetais no mercado de uma pequena aldeia.

Nepal

Ela estava andando com seu filho. Ela não falava inglês, mas ele sim. Então, a fotógrafa disse ao filho que gostaria de fotografar sua mãe. Ele perguntou o motivo. “Porque ela é linda”, a fotógrafa respondeu. Ele orgulhosamente sorriu e olhando para sua mãe, disse: “sim ela é.”

Grécia

Esta mãe e suas filhas fugiram da guerra na Síria.

Nepal

A fotografia foi tirada em um domingo de 2015 e, como todos os fins de semana, muitas pessoas da cidade de Pokhara, Nepal, passavam o tempo ao redor do esplêndido lago Fewa.

Myanmar

A fotógrafa conheceu essa simpática senhora em um mercado local.

India

Ao viajar de país para país, a fotógrafa conta que ficou feliz em ver que a quantidade de mulheres em forças públicas em todo o mundo.

Islândia

Thorunn reúne mulheres islandesas através de uma popular comunidade online.

Rússia

A russa Nastya tira fotos para passaportes em uma pequena pequena loja, mas seu sonho é tirar fotos de paisagem ao redor do mundo.

Alemanha

A mãe de Anais nasceu em Mali, país africano e seu pai é francês.

Portugal

Daniela é de Lisboa, Portugal e tem origens angolanas. A fotógrafa conta que amou andar nas ruas desta bela cidade e ver tantas pessoas diversas que vivem em harmonia.

Romênia

Em 2005, Magda se envolveu em terrível acidente de carro. A falta de infraestrutura, principalmente em lugares públicos, como parques, fez a fotógrafa perceber que na maioria dos lugares ainda é difícil ver pessoas em cadeira de rodas em áreas públicas. Mas Magda quer mudar a forma como as pessoas em cadeiras de rodas são tratadas, pelo menos em seu país, através de algumas iniciativas surpreendentes.

Cuba

Ela deseja terminar seus estudos e se tornar uma enfermeira.

Suíça

Patricia e Rebecca, da Suíça, são irmãs, com apenas um ano de diferença entre elas. “Quando éramos pequenas, a maioria das crianças ria de nossos cabelos vermelhos. Mas isso nos aproximou mais ainda.”, dizem.

Mongólia

Ela está usando um deel, que é uma roupa tradicional comumente vista na Mongólia.

Etiópia

Sua tribo é chamada Daasanach. Com as altas temperaturas da região, é comum as pessoas ficarem nuas.

Bélgica

Ania sonha em competir nos Jogos paraolímpicos.

Planalto do Tibete

A fotógrafa encontrou essa mãe de duas crianças tibetanas em uma vila rural, que abriu a porta de sua casa. Ela estava limpando sua casa e, mesmo assim, fazia questão de usar suas jóias.

França

Imane tem origens africanas e europeias e sonha em abrir uma galeria de arte para artistas de todo o mundo.

Iraque

A fotógrafa conheceu essa jovem em um campo de refugiados da região do Curdistão, no Iraque. Hasa tem a sorte de estar viva e ter a chance de estudar. Infelizmente, ela perdeu seis de seus primos quando o Isis atacou sua aldeia na Síria.

Romênia

Alice estava comemorando sua graduação do ensino médio.

Guatemala

Muitas mulheres do mundo carregam grandes cargas todos os dias, literal ou figurativamente. E eles fazem isso, como essa linda mulher, com muita ternura e positividade. A fotógraa a conheceu em janeiro, em Chichicastenango, uma pequena cidade da Guatemala.

Guatemala

Uma bela família vestida com lindas roupa criadas pela mãe.

 

Itália

A filha, Caterina, é uma bailarina e sua maior apoiadora é sua mãe, Barbara.

Turquia

Pinar é uma atriz de teatro. Enquanto ela incorpora diferentes papéis no palco, na vida real, ela ama ser ela mesma.

Grécia

A fotógrafa conheceu essa valente mãe de três crianças no ano passado em um campo de refugiados na Grécia. Ela escapou de sua cidade natal no Iraque, que estava sob controle do ISIS. Ela percorreu um longo caminho para a Europa, com seus filhos, gastando todas as suas economias, na esperança de uma vida mais segura.

Equador

Um momento de ternura no mercado de alimentos.

Índia

Ao viajar para a Índia, a fotógrafa notou que o trem é um sistema de transporte vital para o país. Eles transportam diariamente mais de vinte milhões. Imagine vinte milhões de histórias fascinantes! Ela gostaria muito de ouvir a história da mulher da fotografia, mas o trem prtiu depois de alguns segundos da estação de Jodhpur.

Alemanha

Essa jovem alemã viaja o máximo que pode. Seus parentes estão espalhados por todo o mundo e ela ainda está procurando por um lugar perfeito para viver.

Geórgia

Natia, de Tbilisi, capital da Geórgia, estuda direito e deseja se tornar criminalista. Ela contou á fotógrafa que seu sonho é trabalhar para o FBI algum dia. Enquanto isso, ela, que já ganhou uma bolsa de estudos, trabalha nesse café para se manter.

Nepal

Uma mãe carregando sua filha, no Nepal.

Por meio desse fantástico projeto, a fotógrafa faz todos nós abrirmos os olhos para a diversidade da beleza feminina em todo o planeta.

Ela finaliza:

“Vivemos em um mundo bonito e a diversidade é um dos nossos melhores presentes. Ao mesmo tempo, este mundo tornou-se muito mais intolerante em relação à diversidade, nos últimos anos. Mas não perca a esperança! Eu vi com meus próprios olhos durante minhas viagens que há muito mais bondade neste mundo do que o ódio. Nós apenas temos que perceber, compartilhar com os outros e fazer deste mundo um lugar melhor para nossos filhos.”

Guilherme Dantas