in ,

7 dicas para se inspirar na escolha de cores em seus projetos

Escolher as cores que serão utilizadas em sua criação é uma das tarefas mais importantes do projeto. E essa escolha pode ser inspirada de várias maneiras, como a partir de fotos, vivência (sua ou do cliente), o significado das cores, combinações naturais, etc.

As cores estão presentes em praticamente tudo que fazemos e são responsáveis por muitas decisões que tomamos, muitas vezes de maneira inconsciente. Por isso, é nosso papel guiar esse potencial, seja para efetivar uma compra, transmitir uma mensagem, confortar ou incomodar, e mudanças relativamente sutis podem virar o jogo em uma composição de cores.

E com tantas sutilezas e opções, precisamos de técnicas práticas e ferramentas que ajudarão muito na escolha e composição das suas cores. Pensando nisso, separamos aqui algumas:

Confira a versão em vídeo ou, se preferir, a versão em texto logo abaixo.

Observe os portfólios e trabalhos de outros designers

Uma das maneiras de estudar, em qualquer área, é através de cases, tanto os que deram certo, assim podemos ver o que é realmente interessante de ser aplicado, como também os que não deram tão certo assim, para aprendermos o que pode ser melhorado.

É possível aprender muito quando vemos trabalhos realizados por outros profissionais, observando técnicas, ideias e referências de todo tipo. Mas claro, não estou falando em plágio, mas sim em processo de aprendizado mesmo.

Sites de portfólio como Dribbble e Behance apresentam pesquisas a partir de cores predominantes, que podem facilitar muito a busca por inspirações quando você já tem uma ideia de qual tonalidade próxima pode servir para iniciar seu trabalho.

Acompanhe também os perfis dos profissionais que tem um estilo mais próximo do seu, ou do que você busca atingir, para ir se inspirando e aprendendo a cada nova atualização. Inclusive, uma maneira de fazer isso é acompanhando o nosso Instagram, onde colocamos várias inspirações bem legais, sempre marcando seus autores.

Faça um painel semântico

De maneira bem simples, o painel semântico é como uma colagem de informações, que pode ser feita do modo tradicional, com recortes de revistas e catálogos, ou digital, copiando outras peças, fotos, texturas, cores e colocando tudo dentro de um painel.

Com essa visão geral, fica muito mais fácil compreender as características esperadas para o projeto e ser muito mais assertivo na criação.

Para criar esse moodboard (painel semântico), você pode usar os softwares conhecidos como Photoshop, Illustrator e InDesign, mas é bem fácil fazer isso pelo Canva, copiando, colando e recortando referências direto nele.

Crie composições a partir de fotos

As referências estão por aí, em qualquer lugar. Muitas vezes a inspiração para o uso de cores pode ser encontrada em elementos que não possuem necessariamente relação com o que está sendo criado, como por exemplo fotos de lugares, pessoas ou objetos.

Todas essas referências terão suas cores predominantes, e capturar uma paleta cores é bem fácil, já que tanto o Adobe Color, COLOURlovers (Photocopa) e o Canva tem recursos que permitem importar uma imagem e o sistema te mostra assim algumas das cores que mais se sobressaíram nela.

Isso poupa um bom tempo de trabalho e ainda a escolha é feita com as cores que melhor conversam entre si.

Inspire-se na natureza

Estamos acostumados a ver a beleza no que é natural, em sua gigantesca variedade de texturas e combinações de cores que encontramos na natureza. Por isso, é também natural que ao utilizar inspirações desse lado, um bom resultado é mais fácil de atingir.

Nesse caso, pode aproveitar a dica anterior, criando as paletas a partir de fotos, já que nem todos temos cenários naturais próximos, já que a “selva de pedra” nem sempre te dá essas possibilidades.

A delicadeza das flores pode ser facilmente transmitida não só pelas suas formas, mas também pelas cores, assim como a solidez de uma montanha ou a profundidade do mar. A natureza tem muito a nos ensinar, para assim aproveitarmos nas criações de todo tipo.

Sempre analise o círculo cromático

Cores transmitem mensagens e sentimentos que podem mudar muito conforme o contexto cultural e da imagem que está criando, mas existem coisas que são mais técnicas e diretas, como a disposição dos tons no círculo cromático, que nos permite criar combinações com regras estabelecidas.

Regras de harmonia de cores vão desde as básicas Complementares, Análogas e Tríade, cada uma com suas características, até as mais personalizadas.

Mas independente de como sua cor principal foi escolhida, recomendo fortemente que coloque-a em um círculo cromático para ver quais outras opções serão boas combinações com ela.

Crie paletas temáticas

Mais uma vez, sites como o Adobe Color, COLOURlovers e o Canva são ótimos para criar paletas de cores, possibilitando também o cadastro e compartilhamento de várias paletas criadas por outros artistas/designers, muitas já nomeadas de um modo que possa te inspirar no tema que está fazendo para o seu projeto.

Agora, se quiser algo palpável, para quem quer presentear alguém ou a si mesmo, um bom exemplo é o livro Pantone: The 20th Century in Color, que também faz a análise detalhada das cores em obras de arte, mostrando a paleta utilizada.

Use uma escala de cor real

Monitores mudam muito, seja pela qualidade, configuração ou tecnologia utilizada, por isso, nem sempre confiar totalmente na calibragem deles vai ser a opção mais recomendada.

Isso ganha uma importância ainda maior quando o projeto é um arquivo para impressão.

Por isso existem escalas de cores, semelhantes àquelas que vemos na hora de escolher a tinta de parede, com algumas variações, principalmente Pantone, seguidas pelos seus respectivos valores CMYK e RGB.

Para quem deseja se aprofundar no tema também o livro True Color System apresenta 110.000 cores variando de 5 em 5% impressa em 7 tipos de papel. (Essa dica de leitura apareceu no artigo sobre 10 livros para aprender mais sobre design gráfico).

Ter em mãos as cores reais e impressas mudam muito a percepção da cor escolhida, podendo confirmar ou excluir o seu uso no projeto.

Conclusão

Definir as cores do seu projeto não pode ser um trabalho aleatório, e como você viu, existem diversos estudos, livros e técnicas que podem te ajudar nisso. Por isso, vamos falar mais um pouco mais sobre isso em artigos futuros.

Experimente os sites que comentamos e veja que o processo pode envolver muitos conceitos, mas as ferramentas ajudam muito e facilitam a visualização e escolha de uma boa combinação de cores.

Como dica final, sugiro que experimente o Canva Pro para poder contar com ainda mais recursos de combinações e uma infinidade de temas para seus projetos. Você pode experimentar por 30 dias sem compromisso! É só clicar aqui e fazer o cadastro.

Até a próxima!

Julian Nunes

Escrito por Julian Nunes

Designer e professor nas áreas de computação e editoração gráfica e também apaixonado por cinema, animação, motion e flertando com fotografia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…