in ,

Como montar uma paleta de cores para seus projetos de design

Eu sei que falar sobre cores cabe em um blog inteirinho. Sei que entender sobre elas é uma atividade extremamente complexa. E neste artigo eu vou falar um pouco sobre cor, mas no aspecto de construção de uma paleta de cores.

Muitos designers travam quando chega na etapa de trabalhar com cores, ainda mais se têm o processo como o meu: primeiro o momento de validação de formas, hierarquia e contrastes para enfim definir as cores.

Travar na definição das cores é muito normal, e o destrave só acontece com muita prática, pesquisa, estudo e mais prática ainda. E nos tópicos a seguir, explicarei conteúdos que são essenciais para você continuar destravando a habilidade de trabalhar com cores.

Função das cores

Antes de qualquer coisa, precisamos entender os papéis que a cor pode assumir em um projeto, compreendendo isso, podemos entender como vamos trabalhar com ela.

Eu divido em três funções principais, é óbvio que existem outras, ainda mais se tratando de uma linguagem complexa e área de estudo tão ampla. Essas funções são: unificar, destacar e classificar.

1- Unificar

A função de unificar, na categoria de hierarquização, se configura como a capacidade de compreender informações como sendo da mesma natureza. Quando definimos esse objetivo para a cor, o ideal é trabalhar com harmonias próximas no círculo cromático.

2- Destacar

Já para destacar, podemos escolher cores opostas no círculo cromático, onde o contraste é máximo. Esse papel pode ser utilizado para separar conteúdos, dar ênfase para determinadas informações, elevando seu nível de importância.

3- Classificar

O site Globo.com é um exemplo clássico de quando a cor é utilizada para classificar informações. Todo título de cor verde é associado à matérias de esporte, títulos laranja ao Gshow, entre outros.

Para entender melhor o que estou falando acerca do círculo cromático, leia meu artigo sobre o que todo designer precisa saber sobre a teoria das cores.

Regra 60-30-10

Essa regra é muito conhecida no Design para Web, no qual compreendemos que a partir de três categorias de cores trabalhamos a proporção em busca de harmonizar o site.

Explicando melhor, definimos três grupos de cores para um layout. O primeiro grupo é de cores dominantes ou primárias, o segundo grupo de cores secundárias e o terceiro grupo de ênfase.

Para compor a regra, utilizamos (aproximadamente) 60% do layout com as cores dominantes, 30% das cores secundárias e 10% das cores de ênfase.

Óbvio que você não vai ficar obcecado com essa regra e contabilizar cada porcentagem utilizada em cores no layout. Essa regra nos serve para dar uma ideia de como podemos atingir a harmonia de cores, mas assim como layouts coloridos têm muita beleza, os monocromáticos bem feitos também têm.

Variações

Outro assunto importante quando lidamos com a construção de uma paleta de cores para um projeto são as variações. Não pegamos um layout e enfim usamos apenas as cores primárias, secundárias e de ênfase, mas desmembramos a partir delas outras cores, o que chamamos de variações.

É possível gerar variações darker ou lighter, sendo a primeira variações de cores mais escuras e a segunda de cores mais claras, também conhecido como shades and tints.

HSB

Para melhor domínio da técnica, precisamos conhecer o modelo de cores HSB. Mas em resumo, é um modelo que se baseia em três propriedades da cor: matiz, saturação e brilho.

Mais escura

Para conseguir cores mais escuras utilizando o modelo HSB, aumentamos a saturação e diminuímos o brilho. E é de vital importância que essa mudança não aconteça em apenas uma das propriedades.

Mais clara

Já para conseguir cores mais claras, temos que fazer o processo inverso, aumentamos o brilho e diminuímos a saturação. Cores menos saturadas são cores menos vibrantes, e isso nos ajuda a definir o tints da nossa paleta.

Montando a paleta

A maneira mais básica de montarmos uma paleta de cores é a partir das cores da identidade visual. Utilizamos as cores já utilizadas na marca ou em outras peças que a compõe e definimos as cores dominantes, secundárias e de ênfase.

Outra forma de montarmos uma paleta de cores é através da mensagem que se deseja passar. Não são apenas as cores do logotipo que determinam a paleta do projeto, por vezes uma marca se apresenta flexível o suficiente para esse tipo de adaptação.

A forma como eu monto uma paleta de cores atualmente é por meio da definição das cores primária, secundária e de ênfase. A partir disso, seleciono a cor primária e crio duas variações mais escuras e duas variações mais claras. Repito o processo com a cor secundária e insiro na paleta 5 cores neutras.

As cores neutras, normalmente tons de cinza, ajudam a compor o layout dando equilíbrio à peça. Mas o que recomendo é que utilize a matiz da sua cor primária e coloque um pouco de saturação, assim as suas cores neutras terão um pouco da “identidade” da cor primária, deixando seu projeto com mais personalidade.

Sites

E para finalizar esse artigo, quero recomendar quatro sites que sempre utilizo para construir uma paleta de cores nos meus projetos:

Escrito por Éricles Batista

Designer de marcas e empreendedor digital apaixonado por Matemática, música, processos e cozinha. 90% dedicado e 40% chato segundo sua namorada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…