Você deve conhecer o Prisma. Talvez até já tenha usado. É um aplicativo que aplica o estilo de pintores famosos em suas fotografias. O aplicativo faz isso evitando alterar a estrutura da imagem original, como o exemplo abaixo:

Imagem via: The Next Web

Pesquisadores da Adobe estão trabalhando em um algoritmo que faz algo parecido com o que o Prisma faz, com a diferença de que ele se baseia em outra foto como referência de estilo.

Como funciona?

Batizado de Deep Photo Style Transfer, o algoritmo é capaz de reconhecer o padrão de estilo de uma foto de referência, como cores, sombras, iluminação e replicá-lo na foto original, criando uma imagem totalmente nova.

Complicado de entender? Veja o exemplo abaixo.

A primeira foto (a flor amarela) é a imagem original. A segunda foto (a flor vermelha) é a imagem de referência

O algoritmo analisou as fotos e copiou o estilo da flor vermelha (segunda foto) para a estrutura da flor amarela (primeira foto), resultando na terceira foto.

Os pesquisadores testaram o algoritmo com várias fotos, como você pode ver abaixo:

É incrível como o algoritmo copia as informações da foto de referência e aplica na foto original sem alterar sua estrutura, conseguindo transformar, por exemplo, um cenário diurno em noturno, como esse último exemplo.

Confira mais exemplos de aplicação do algoritmo em seu repositório do GitHub.

Ainda não sabemos o quanto o algoritmo será aperfeiçoado, nem se as futuras versões do Photoshop já terão essa funcionalidade, mas isso já é um indício do que podemos aguardar para um futuro próximo.

Guilherme Dantas
  • Leandro de Mello

    Esperando isso no Photoshop

  • Tiago Tins

    funciona não

  • Saulo Prata

    Caramba, Impressionante.

  • Pirulito no Cynar

    Vai me poupar muito tempo…acelera isso ai Adobe!

  • ricco

    De onde você tirou que isso ta sendo feito por “pesquisadores da adobe”? Se o autor do artigo gastasse um pouco mais de 5 minutos de pesquisa sobre redes neurais (o nome correto disso) não escreveria tanta besteira.

    • Guilherme Dantas

      Oi Ricco!

      A página da Cornell University Library sobre o projeto é esta aqui: https://arxiv.org/abs/1703.07511

      Lá, são citadas 4 pessoas como responsáveis pelo projeto, sendo que Sylvain Paris e Eli Shechtman são listados no próprio site da Adobe como pesquisadores, confirme os links abaixo:
      Sylvain Paris: https://research.adobe.com/person/sylvain-paris/
      Eli Shechtman: https://research.adobe.com/person/eli-shechtman/

      O próprio PDF do projeto (muito bem explicado, por sinal) refere-se aos dois pesquisadores acima como funcionários da Adobe:
      https://arxiv.org/pdf/1703.07511.pdf

      Você está certo quanto ao nome científico disso (redes neurais), que inclusive é um assunto fascinante e talvez aborde-o com mais detalhes em um post futuro.

      Obrigado pelo comentário.
      Abraços.

      • Mariane Ponce

        Arrasou!

      • ricco

        Pois é, foi mal, falei besteira então. Eu tinha visto o paper mas não tinha ligado os nomes a adobe. Acontece que os componentes mais importantes e responsáveis pela mágica (Torch entre outros) são projetos de código aberto e que tem evoluído bastante por conta não da adobe e sim pelo google e pela comunidade que contribui ativamente com o projeto, daí minha confusão. Mais uma vez me desculpe o vacilo, devia ter gasto um pouco mais de tempo pra elaborar meu comentário ;)

  • Bruno K

    Só eu que achei que o resultado final ficou meio bosta. Estoura afu as altas e algumas saturações. Como um processo em que está em testes é super valido. Mas o resultado ainda não é bom, talvez pra um efeito de app do cel até vai. A foto da casa de dia e de noite mostra bem como ele detona a foto e fica bem pior.