in

5 mentiras que designers geralmente ouvem

O 1º de abril já passou, mas isso não significa que as pessoas pararam de mentir. A mentira é algo que sempre esteve presente no cotidiano do ser-humano, infelizmente.

Algumas saem “sem querer querendo”, já outras são meticulosamente planejadas por uma mente maligna, preparadas para fazerem parte de um plano nada bondoso.

Como qualquer outro profissional, o designer também precisa se preparar para ouvir mentiras de pessoas (bem-intencionadas ou não).

Sendo assim, confira abaixo 5 mentiras que designers geralmente ouvem:

“Ser designer é muito fácil!”

Alguns que entraram na carreira do design, foram impulsionados por ideias que lhe prometiam rios de dinheiro, com pouco esforço. “É uma profissão fácil, aproveita!”, “Dá pra ganhar bastante dinheiro, é só você aprender a mexer no Corel”. E por aí vai.

A verdade:

Não é a profissão mais difícil do mundo, mas como qualquer outra, exige esforço, disciplina, conhecimento e habilidade. Pegue tudo isso, misture, e adicione o fato que qualquer profissional de criação precisa estar bem consigo mesmo para que a criatividade não vá pelo ralo.

Também atente-se à realidade do mercado atual, que já se encontra bem cheio. Se destacar no meio dessa multidão de profissionais e pseudo-profissionais é uma tarefa difícil. Portanto, ser designer não é tão fácil quanto dizem.

“É uma coisinha simples…”

A frase preferida por clientes que querem algo para ontem, mas não estão dispostos a pagar muito por isso. “É rapidinho, coisa de meia hora e você faz. Quebra essa pra mim, vai!”.

A verdade:

Toda vez que alguém julga o grau de dificuldade do seu trabalho, está cometendo uma injustiça. Isso só você sabe. Talvez o trabalho realmente não seja complicado, mas é importante deixar claro ao cliente que você também atende outras pessoas. E que separar “meia horinha” para “quebrar esse galho” para ele significa tirar 30 minutos do tempo que seria gasto em um outro trabalho.

Não caia na tentação de querer agradar a todos. A “coisinha simples” pode se transformar numa verdadeira dor de cabeça. E se você ainda decidiu não cobrar por isso, a dor de cabeça evoluirá para uma enxaqueca.

“Te pago tudo no final do trabalho.”

Ok, nem sempre a frase acima é uma mentira. Dependendo do tipo do seu contrato, talvez a obrigação do cliente é de efetuar o pagamento após a entrega do serviço. Sem problemas. Mas a situação complica quando você cumpre sua parte, mas o cliente não.

A verdade:

Nada melhor do que a transparência para guiar as negociações. Antes de fechar um negócio, tenha certeza de que as perguntas “quando vou receber?, “quanto vou receber?” e “de que forma vou receber?” estejam respondidas, sem que hajam dúvidas.

Não deixe que o cliente determine a forma de pagamento sem que você esteja à vontade para isso. O diálogo franco é o melhor caminho para uma boa negociação.

“O trabalho não é remunerado, mas lhe dará visibilidade.”

Ah, a visibilidade… Existe neste mundo salário melhor para um profissional? Sim, existe: o dinheiro.

Não caia na armadilha de trabalhar por algo incerto. Muitos clientes espertinhos tem uma boa lábia e fazem o profissional acreditar que aquele projeto lhe abrirá muitas portas, algo melhor que o dinheiro.

A verdade:

A não ser que você realmente acredite no projeto e esteja disposto a abrir mão da remuneração financeira em troco de uma possível visibilidade futura, diga um alto e sonoro NÃO para propostas como essas.

Evite aceitar projetos pelo simples fato de não perder o cliente. Em casos como esses, acredite, é melhor perder.

“Faça tudo que o cliente pedir. O cliente tem sempre razão.”

Mais uma vez, com medo de contrariar o cliente e perdê-lo, alguns designers tem balançado a cabeça verticalmente, aceitando todas as ideias e sugestões de seus clientes. Após a entrega do projeto, o designer sabe que ficou uma porcaria. Mas o cliente está feliz e já depositou o restante do dinheiro na sua conta. Tudo ótimo. Só que não.

A verdade:

Quando uma pessoa ou uma empresa contrata um designer, este deve deixar claro que não é uma simples ferramenta “mexedora de photoshop”, mas sim um profissional que irá dar devida orientação.

Muitas vezes é preciso contrariar as ideias do cliente e sugerir alternativas. É dolorido dizer ao cliente que aquela ideia que ele está defendendo, e que ama tanto, não dará certo. Sim, dói. Mas é esse nosso trabalho.

E você, quais mentiras costuma ouvir?

Escrito por Guilherme Dantas

Fundador do Designerd, empreendedor digital, apaixonado por design, marketing digital, carros, cinema, astronomia e física quântica. Arranhador profissional de violão nas horas vagas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…