in

Fiz merda. E agora?

Em todas as profissões há o risco do erro. Em algumas, a falha humana pode significar a vida de uma pessoa. Em outras, apenas o aborrecimento.

No design, não é diferente. Seja, web, gráfico, do produto ou qualquer outro, o designer é um profissional que também precisa lidar com o seu pior pesadelo: o seu próprio erro.

Era para ser um dia normal de trabalho, mas uma falha sua deixou marcas que dificilmente serão esquecidas. Dramático hein?
Sendo assim, seguem quatro conselhos para tentar reverter a situação de quem “fez caquinha”. Ou cacona.

1. Admita.
O primeiro passo é admitir. Se você sabe que errou, que pisou na bola, que escorregou na maionese, admita. Seja profissional ao assumir os erros. Caso chefie um grupo de designers e o erro não foi seu, mas sim de algum integrante do grupo, lembre-se: quando se é líder, a vitória é compartilhada, mas a derrota é somente sua. Jogar toda culpa na equipe é simplesmente cuspir pra cima.

2. Trace um plano B
Muitos erros não são tão graves assim e são passíveis de uma nova estratégia. Se for esse o caso, aproveite o pouco tempo que provavelmente resta e trace um plano B, mesmo que isso signifique passar a noite inteira (ou o fim de semana) trabalhando. Isso mostra (ao cliente, ou ao dono da agência) que você se importa com o resultado positivo do projeto e que está disposto a fazer o possível para consertar a “cagada”.

3. Compense
Esse passo é essencial para tentar reconquistar a confiança do prejudicado pelo seu erro. Supondo que você conseguiu reverter satisfatoriamente a situação, compense-o mesmo assim pelo erro que cometeu. Diga que está disposto a fazer um determinado serviço extra gratuitamente a fim de ganhar novamente sua confiança.

4. Aprenda
Após o erro, e passada a sensação de culpa, o que sobra é a lição aprendida. Procure ir mais a fundo e listar mentalmente não só o “porque errei” mas também o “como errei”. Veja se alguma atitude sua, como a preguiça, a falta de atenção ou de comunicação foram responsáveis pelo erro – e tente melhorar nisso.

Também já errou feio? Conte abaixo sua história e que lição aprendeu disso. Até a próxima!

Escrito por Guilherme Dantas

Fundador do Designerd, empreendedor digital, apaixonado por design, marketing digital, carros, cinema, astronomia e física quântica. Arranhador profissional de violão nas horas vagas.

3 Comentários

Leave a Reply
  1. Esses dias mesmo fiz uma “diarréia” completa: Usei o mesmo ISBN de um livro em outra capa que fiz… resultado: a leitura do ISBN mostra o outro livro já cadastrado no sistema. Plano B: Fazer etiquetas com o ISBN correto. Mas aprendi e foi um aprendizado. (O Chefe ficou feliz com a arte, isso que importa hahaha)

  2. O problema é que ficamos ‘cegos’ (às vezes) por estarmos em total concentração para detalhes – e alguns outros passam!

    A culpa é do revisor!!!!!! hahaa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…