in , ,

Esse site permite colorir fotografias em preto e branco automaticamente em poucos segundos


Talvez você já tenha observado uma imagem antiga em preto e branco e imaginado as cores que o fotógrafo viu naquele exato momento.

Hoje, muitos profissionais dedicam horas de trabalho para reconstruírem fotografias antigas, adicionando as cores que possivelmente faziam parte do cenário original. Você conferiu recentemente o belo trabalho da colorista digital Marina Amaral.

E não pense que esse é um trabalho simples. Além de habilidades avançadas em um software de edição de imagens, como o Photoshop, um profissional desse tipo também precisa ter o cuidado em analisar o contexto histórico para tentar colorir a imagem do modo mais fiel possível.

Mas, com o avanço da tecnologia, será que a inteligência artificial e o aprendizado de máquina conseguirão fazer esse trabalho tão bem quanto os profissionais de carne e osso?

Bem, isso só o tempo irá responder. Mas temos uma pista de como será o futuro próximo em um site que permite fazer justamente isso, o ColouriseSG.

Desenvolvido pela Divisão de Inteligência Artificial e Ciência de Dados da Agência de Tecnologia do Governo de Singapura, o conjunto de algoritmos utiliza a aprendizagem profunda (Deep Learning, em inglês), um ramo da aprendizagem de máquina, para colorir imagens em preto e branco em poucos segundos.

E funciona?

O próprio site traz uma nota sobre o funcionamento do algoritmo: “O objetivo da colorização é gerar uma imagem com cores plausíveis. De nenhuma maneira garante que a imagem colorida é uma representação precisa da imagem original”.

Dito isso, já sabemos que os resultados podem não ser tão perfeitos assim. Mas decidimos botar o serviço à prova e fazer o upload de algumas imagens monocromáticas para verificar os resultados.

Confira a imagem original que enviamos ao site (à esquerda) e o resultado gerado pelo algoritmo (à direita):

É simplesmente fantástico ver em tempo real o trabalho do algoritmo e a forma como ele tenta encontrar as cores mais plausíveis para cada imagem.

É claro que alguns erros vão acontecer no meio do caminho. Na última imagem acima (do carro estacionado), por exemplo, o algoritmo provavelmente reconheceu o asfalto como grama e o coloriu de verde.

Mas nada que tire o mérito desse incrível projeto. Vale a pena acessar o site e enviar suas próprias fotografias (preferencialmente aquelas antigas, que sua avó guarda na gaveta) e conferir os resultados por conta própria.

Confira também nesse artigo (em inglês) mais detalhes sobre esse projeto.

Agradeço e dedico esse artigo à leitora Flávia Torres, que nos indicou o site em um comentário nesse post em nossa Fan Page.

Escrito por Guilherme Dantas

Fundador do Designerd, empreendedor digital, apaixonado por design, marketing digital, carros, cinema, astronomia e física quântica. Arranhador profissional de violão nas horas vagas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…