in ,

Testamos a tela digitalizadora XP-PEN Artist 15.6 Pro

Ilustradores e artistas digitais convergem em uma ferramenta tão essencial que se tornou o “lápis e papel” da era digital. A mesa digitalizadora acompanha esses profissionais desde que as primeiras versões do Photoshop ganharam funcionalidades além da edição simples de fotos.

Há quem prefira ilustrar com o iPad, mas as mesas digitalizadoras oferecem a vantagem da conexão com o computador e – como no caso desse modelo – da tela espaçosa.

Em um segmento com opções limitadas surge a XP-PEN, marca fundada no Japão em 2005 para oferecer ferramentas com ótima tecnologia e menores custos.

A mesa digitalizadora é uma ferramenta comum: tela grande, botões, cabos de conexão. Quase todos os modelos do mercado seguem essa mesma linha. Os produtos se diferenciam nos detalhes. E foram justamente essas peculiaridades que chamaram atenção neste modelo Artist 15.6 Pro.

Review: Tela Digitalizadora Artist 15.6 Pro

Unboxing: o capricho está nos detalhes

Quem acompanhou nosso unboxing no Instagram viu a animação e a sensação maravilhosa de desembalar esse produto. Tudo muito bem feito e com qualidade impecável.

O produto vem equipado com os cabos, plug elétrico com adaptador, um ótimo suporte, a mesa digitalizadora e um estojo incrível com a caneta e diversas pontas extras.

O kit é completíssimo para dar aquela inspiração de criar sua próxima obra de arte. Veio até uma luva junto para ajudar a apoiar a mão na tela.

A caneta foi uma boa surpresa com um design bem ergonômico. É leve e gostosa para trabalhar, fora o estojo que é super caprichado.

O grande destaque vai para a mesa digitalizadora em si. Achei o produto muito leve e fino, com pouco mais de 1cm de espessura. Em vários momentos durante os testes eu levei essa XP-PEN para ambientes e escritórios diferentes e o transporte foi super tranquilo. Mas, em vez de entrar tanto em detalhes técnicos, vou direto para a experiência com essa tela.

Display: brilho, cores e reflexo

Como o nome do produto diz, essa versão tem 15.6″, espaço de sobra para trabalhar. O brilho é intenso o suficiente para visualização em um ambiente bem iluminado. Na foto abaixo testei o produto em uma sala com luz do Sol plena. Tanto a XP-PEN quanto o notebook estão com o brilho máximo. Mesmo nessa sala com todas as janelas abertas e o Sol na cara foi possível ver com nitidez as imagens na tela. E o notebook de 13″ ficou até pequeno perto da mesa digitalizadora.

Um ponto que poderia melhorar é o tamanho das bordas. Algumas pessoas preferem uma borda maior para ter mais estabilidade ao desenhar. Eu já acho interessante um display maior em relação ao corpo do produto.

Além do brilho, o display tem boa resolução e nitidez. Mesmo sem calibrar as cores o resultado foi muito agradável.

Um ponto extra para a XP-PEN vai para o acabamento anti-reflexo no display. Mesmo olhando a tela quase de lado ainda é possível ver as cores com nitidez. O reflexo é mínimo

Esses botões na lateral do display são customizáveis. Mais um exemplo onde os detalhes fazem toda a diferença.

São 7 botões de ação e um botão final que serve como um seletor de funcionalidades (zoom, tamanho do pincel, etc). A rodinha vermelha tem uma aplicação diferente de acordo com a funcionalidade selecionada.

É uma solução super prática para ajudar a rotina do artista digital sem colocar empecilhos no meio do caminho. É possível até controlar sua playlist com essa rodinha. Os botões estão bem posicionados e têm detalhes em alto relevo para facilitar o uso.

Muitas pessoas perguntam sobre a latência nesse tipo de display. Esse é um fator importante, afinal qualquer atraso na exibição pode atrapalhar completamente o ritmo de trabalho. Para quem desconhece, a latência é o tempo entre o que você faz na tela e o que é exibido.

Quando você desenha alguma coisa e isso demora para aparecer, a experiência de trabalho fica prejudicada. O ideal é que a experiência seja quase a mesma de desenhar em um papel, com uma resposta imediata.

Esse tempo de resposta depende muito do computador. Uma excelente mesa digitalizadora pode ter uma performance fraca em um computador com pouca memória RAM ou problemas com placa de vídeo e processador.

Fiz vários testes, incluindo em um Mac mais antigo com configuração básica para design gráfico. A instalação foi rápida e depois de tudo configurado não observei atraso no display. Onde o Photoshop roda com tranquilidade é possível usar a XP-PEN Artist 15.6 Pro sem nenhum problema.

O modelo Artist é voltado para uso profissional e aguenta muito bem o trabalho. São 2 conexões com o computador: um cabo USB e HDMI. O cabo vermelho que aparece na foto é conectado na tomada, com o adaptador incluso.

Foi minha primeira experiência com um produto da XP-PEN e depois de algumas semanas de teste fiquei muito satisfeito.

A qualidade do produto é ótima, dá para ver que houve uma atenção aos detalhes e capricho no desenvolvimento dessa mesa digitalizadora. Testei apenas para ilustração, mas deve ser incrível também para modelagem 3D e design gráfico.

Especificações técnicas:

Dimensão: 443 x 280 x 12.6 mm
Área de Exposição: 344.16 x 193.59 mm
Espessura: 11 mm (mais fino)
Teclas de atalho: 8
Roda Vermelha: 1
Lápis: Lápis Sem Bateria
Pressão de lápis: 8192 níveis
Inclinação: 60 graus
Taxa de relatório: ≧ 200 RPS
Resolução da Tela: 1920 (H) * 1080 (V) pixels
Gama de cores da tela: 88% NTSC, 120% sRGB
Resolução: 5080LPI
Ângulo visual: 178°
Dispositivo de entrada: USB
Voltagem de alimentação: DC 5V
Altura de leitura: 10mm
Precisão: 0.25mm(centro)
Cor: Preto + Roda Vermelha

Para saber mais detalhes sobre as características dessa tela digitalizadora e informações de onde comprar, acesse a página do produto no site oficial.

Escrito por Mario Troise

Mario é um empreendedor criativo especializado em lançamento de produtos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…