in ,

5 erros que você pode estar cometendo como designer

Hoje, tendo contato com muitos designers, trocando ideia diariamente e entendendo melhor as dores, me sinto mais confortável para falar sobre esse assunto.

O que eu tenho para falar não é uma verdade absoluta, mas são erros que [possivelmente] você está cometendo e nem mesmo percebe.

Fazendo um retrospecto, identifiquei muitos desses erros na minha própria história, e depois, com o tempo e clareza, vejo que enxergar eles de cara me ajudariam a chegar onde estou com muito mais velocidade.

Pega um caderninho de anotações e vamos juntos.

1- Não entender o lugar do Design no mundo

Nas primeiras aulas de faculdade, a primeira coisa que precisa ficar claro para um aluno é sobre a definição do que ele faz.

Lembro que a primeira vez que pisei em uma faculdade foi na aula da amada Alessandra na matéria de Publicidade e Propaganda, onde conversávamos sobre o que é isso que chamamos de Publicidade.

Lá no terceiro período de Design, a conversa é a mesma (apesar do atraso para falarmos sobre isso).

Conceituamos Design, pensamos sobre o papel do profissional e também sobre o que esse profissional não é responsável.

E estou pontuando esse erro, que com certeza muita gente está cometendo, porque identifiquei que o “up” na minha carreira, se deu a partir do momento em que entendi o que eu fazia, qual o meu impacto na sociedade e na vida das outras pessoas.

Você sabe o que é Design? Sabe o que um designer faz? Sabe a forma que o Design impacta o mundo?

Quanto mais clareza você tiver acerca dessas questões, mais simples fica para impulsionar o seu trabalho e masterizar suas habilidades como designer.

Parece muito filosófico, mas vai por mim, é um fator mega-importante.

2- Evitar pessoas

Eu possuo o background de códigos, redes e matemática. E assim como grande parte das pessoas que resolve trabalhar nessas áreas, eu não tinha muita afinidade com pessoas.

E lógico que eu trouxe esse pensamento para o Design, e queria apenas lidar com softwares e problemas, mas não com pessoas.

Com o tempo, fui percebendo que existe uma necessidade intrínseca de nos relacionarmos com outras pessoas.

Pense o seguinte, quando você conversa com alguém sobre a experiência dela, você absorve um pouco sobre o que o outro viveu sem necessariamente viver aquilo.

Se Design é sobre resolver problemas (à grosso modo), quando conseguimos compartilhar nossas vivências e entender ao máximo a vivência alheia, fica mais simples de propor soluções que abarque o maior número de realidades e anseios.

3- Focar exclusivamente no Design

Quando comecei a trabalhar em Home Office, eu percebi que o que menos faltava em mim eram habilidades técnicas de Design.

O que eu quero dizer com isso? Já fazia o Design com certa qualidade, mas me faltava saber vender isso. E aí que entra o terceiro erro que, muito possivelmente, você está cometendo neste exato momento.

Ser e fazer Design, nesse mundo em que vivemos, é o menor dos problemas. O Design é uma área completamente multidisciplinar, que bebeu de várias fontes e que o conhecimento em outras áreas só tende a ampliar seu potencial.

Por muito tempo eu só lia coisas de Design, só falava de Design e só respirava Design.

Com os tocos da vida, percebi que fazer bem o que eu sou apaixonado e já possuía alguma habilidade era o de menos.

E foi colocando a cara à tapa no Home Office que esse erro se tornou mais evidente.

Caí de cara nos livros de Marketing e vendas, aplico algumas estratégias do mundo nos negócios à minha marca, e também utilizo bastante do que aprendi nos livros de psicologia e filosofia.

4- Ficar fissurado em software

Eu sempre fui dedicado a usar bem um software.

Aliás, isso diz muito sobre a minha história, onde meu primeiro emprego foi como ajudante de sala numa escola de computação.

Lá eu ensinava sobre vários softwares que eu tinha habilidade, de ajudante de sala eu passei para instrutor e enfim professor.

Era Word, Excel, PowerPoint, Corel X6, Illustrator, Indesign e Photoshop.

Com o tempo entendi que software é o de menos.

Recentemente fiz um projeto que precisei aprender dois softwares do zero. Mas como já tinha o conceito e sabia o que queria fazer, não deu sete dias para ter segurança nesses softwares e conseguir cumprir o que me propus.

Claro que software é muito importante, aliás, sem eles não é possível dar vida a muitas ideias. Mas eles não são o lugar onde você precisa ancorar sua carreira.

5- Não participar de eventos

Esse quinto erro eu vejo muita gente cometendo ainda.Participar de eventos tem uma profunda ligação com o segundo erro.

Quando você toma a atitude de ir para eventos, você tende a imergir na carreira, a conhecer mais pessoas e criar uma rede de relacionamentos que vai ser muito boa para sua carreira.

Todo evento que você participa abre uma janela de oportunidade para você aumentar seu nível de entendimento sobre determinado assunto, te propicia trocas intensas com outras pessoas que possuem interesses afins e também te possibilita fazer relações que ajudarão muito nos seus negócios.

Conclusão

No tópico 2 eu te dou uma dica que você precisa tatuar no seu braço: quando você troca com outras pessoas, você vive de relance parte da experiência do outro e aprende com isso.

Use essa dica também neste artigo.

Pegue esses macetes e acelere o seu crescimento.

Escrito por Éricles Batista

Designer de marcas e empreendedor digital apaixonado por Matemática, música, processos e cozinha. 90% dedicado e 40% chato segundo sua namorada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…